PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Odebrecht e outras empresas recebem multas milionárias na Colômbia

28/12/2020 19h08Atualizada em 29/12/2020 14h20

Bogotá, 28 dez (EFE).- A Superintedência de Indústria e Comércio da Colômbia (SIC) anunciou nesta segunda-feira que aplicou multas de mais de 295 bilhões de pesos (R$ 438,3 milhões) à Odebrecht e outras empresas e pessoas, por "violarem o regime de libre concorrência na licitação e obras de execução" de uma rodovia.

As sanções afetaram empresas Corficolombiana, Episol e Concesionaria, além de quatro indivíduos, por terem "colaborado, facilitado, autorizado, executado ou tolerado tais condutas", aponta comunicado.

A Sociedad Concesionaria Ruta del Sol, liderada pela Odebrecht, havia recebido a concessão da construção de 600 quilômetros da rodovia Rota del Sol II, que liga o centro do país com a costa atlântica.

Segundo investigações, a companhia brasileira pagou propina de US$ 6,5 milhões para o ex-vice-ministro do Transporte do país Gabriel García Morales, para garantir a concessão do projeto, que também foi integrado pela Episol, que faz parte do grupo Corficolombiana, e pela CSS Constuctores.

O antigo integrante do governo, que foi denunciado formalmente à justiça, ganhou o benefício da delação premiada, segundo explicou a Superintendência de Indústria e Comércio.

Morales confessou participação no esquema e "trouxe informação determinante sobre o sistema anticoncorrência", relatou a SIC.

De acordo com a agência governamental, as companhias Construtora Norberto Odebrecht S.A. e Odebrecht Participacoes e Investimentos S.A. deverão pagar multas de 87,78 bilhões de pesos (R$ 130,4 milhões) cada uma.

Também foram aplicadas multas contra os diretores da empresa brasileira Luiz Antonio Bueno, Luiz Antonio Mameri y Yezid Augusto Arocha, assim como para o ex-presidente da Corficolombiana José Elías Melo, que já foi condenado a 11 anos de prisão, após ter sido considerado por saber e permitir o crime de suborno.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelou, em dezembro de 2016, um relatório que apontava que a Odebrecht pagou US$ 11 milhões em subornos na Colômbia, como parte da rede multimilionária de corrupção da empresa na América Latina e na África.

Outro lado

Leia abaixo, na íntegra, nota enviada pela Odebrecht Colômbia:

"A Odebrecht busca colaborar de forma permanente e eficaz com as autoridades de todos os países em que atua, visando o pleno esclarecimento de fatos do passado. Hoje, a empresa está inteiramente transformada. Adota as mais recomendadas normas de conformidade em seus processos internos e segue comprometida com uma atuação ética, íntegra e transparente. Sobre o tema em questão, a empresa avaliará eventuais medidas cabíveis."