PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Alemanha vetará entrada de viajantes do Brasil a partir de sábado

29/01/2021 21h09

Berlim, 29 jan (EFE).- O governo da Alemanha proibirá a partir deste sábado a entrada de viajantes de países com alta presença de mutações do coronavírus Sars-CoV-2, causador da covid-19, como Brasil, Reino Unido e África do Sul, além de Portugal e Irlanda.

A medida, que havia sido antecipada na quinta-feira pelo ministro do Interior, Horst Seehofer, foi aprovada nesta sexta-feira para que passe a vigorar no sábado. Serão afetadas as pessoas que entrarem na Alemanha por via aérea, terrestre ou marítima até, previsivelmente, o dia 17 de fevereiro, segundo a revista "Der Spiegel".

A expectativa é que no domingo essa proibição seja ampliada para os viajantes de Lesoto, país cerca do pelo território da África do Sul.

Essa norma não afetará os cidadãos alemães nem pessoas com residência fixa na Alemanha que voltarem ao país, nem passageiros em conexão, assim como a circulação de mercadorias.

A medida pretende minimizar o risco de expansão das mutações na Alemanha, país que está registrando uma queda consolidada nos contágios, mas cujas autoridades alertam para o perigo de uma propagação dessas cepas.

Entrou em vigor no domingo passado um endurecimento das condições de entrada aos viajantes de zonas de "alta incidência" (com aumento acumulado em sete dias superior a 200 casos por cada 100 mil habitantes), como Espanha, Bolívia e Colômbia.

Desde então, os viajantes desses países precisam apresentar dois exames negativos para entrar no território alemão: o primeiro realizado até 48 horas antes do voo e o segundo, no quinto dia de quarentena na Alemanha.

INCIDÊNCIA EM BAIXA, RESTRIÇÕES PRORROGADAS.

A incidência acumulada em sete dias tem caído de forma contínua na Alemanha na última semana. Na quinta-feira, esteve pela primeira vez desde outubro do ano passado abaixo de cem contágios por cada 100 mil habitantes (98), e hoje está em 94,4 casos.

O pico de incidência foi registrado em 22 de dezembro, com 197,6 infecções a cada 100 mil habitantes em sete dias. A meta do governo alemão é reduzir a incidência para menos de 50, o que permitirá rastrear todas as cadeias de contágios.

Nas últimas 24 horas, a Alemanha notificou 14.022 casos de covid-19 e 839 mortes por complicações da doença, segundo o Instituto Robert Koch de virologia. Desde o início da pandemia, o país acumula 2.192.850 casos e 55.752 óbitos.

A chanceler Angela Merkel e governantes regionais decidiram em meados deste mês prorrogar as restrições vigentes até 14 de fevereiro.