PUBLICIDADE
IPCA
+0,31 Abr.2021
Topo

Cepal eleva a 4,1% perspectiva de crescimento da América Latina em 2021

30/04/2021 01h33

Santiago, 29 abr (EFE).- A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) melhorou ligeiramente as perspectivas de crescimento da região para 2021, dos 3,7% previstos em dezembro do ano passado para 4,1%.

A revisão foi anunciada nesta quinta-feira pela secretária executiva da Cepal, Alicia Bárcena, que, no entanto, ressaltou que a melhora não é suficiente para neutralizar a queda sofrida pela região devido à pandemia e retornar aos níveis pré-covid-19.

"A região retraiu 7,1% em 2020, crescerá 4,1% este ano, estimamos, mas não será suficiente para recuperar o nível de atividade pré-pandemia", disse Bárcena no início de um evento virtual no qual ela apresentou a última edição da "Revista Cepal".

Bárcena também afirmo que a situação atual é de grande incerteza devido ao "acesso desigual às vacinas" e "sua eficácia, que não é garantida".

"A recuperação pode ser assimétrica, divergente e gerar mais lacunas entre o centro e a periferia, acreditamos", declarou.

Esta situação foi descrita por ela e pelo secretário executivo adjunto da Cepal, Mario Cimoli, em um artigo conjunto publicado na revista da organização.

Bárcena e Cimoli explicam que a pandemia está emergindo na região no contexto de três crises estruturais: uma crise social refletida nos altos níveis de desigualdade; uma crise econômica refletida no baixo crescimento e atraso tecnológico da região em comparação com os países avançados e (cada vez mais) com algumas economias asiáticas; e uma crise ambiental refletida na perda de biodiversidade, florestas e água, e na tendência de aumento das emissões de gases de efeito estufa.

"Estas três crises e as políticas necessárias para superá-las interagem umas com as outras. Mudar o estilo de desenvolvimento da região requer uma ação coordenada", argumentaram.

A estratégia para fechar estas três lacunas (econômica, social e ambiental) foi descrita pela Cepal como uma recuperação transformadora para o desenvolvimento sustentável, ou seja, uma estratégia que combine a recuperação econômica com a superação do atual estilo de desenvolvimento.

Fontes da organização disseram à Agência Efe que nas próximas semanas a agência anunciará oficialmente suas novas projeções econômicas.