PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

López Obrador denuncia interesses nos EUA por degradação da aviação mexicana

24/05/2021 17h30

Cidade do México, 24 mai (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, denunciou nesta segunda-feira que existem "interesses" nos Estados Unidos em relação a uma possível queda da classificação de segurança da aviação mexicana planejada pelas autoridades americanas.

"Há interesses, porque aqueles que beneficiam quando há uma medida destas são as companhias aéreas americanas, são elas que se beneficiam, e podem ser prejudicadas pelas linhas nacionais. Estamos acompanhando este assunto", disse o presidente mexicano em sua coletiva de imprensa matinal no Palácio Nacional.

López Obrador referia-se a rumores na imprensa internacional de que a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) planeja reduzir nesta semana de categoria 1 para categoria 2 a classificação de segurança aérea no México.

A decisão não afetaria as companhias aéreas dos EUA nas suas atuais operações, mas poderia impedi-las de lançar novas rotas ou compartilhar assentos com outras companhias aliadas.

"Também estamos analisando esta questão, mas não é uma questão sensível. Vejo mais um propósito para ajudar as companhias aéreas dos EUA com uma medida deste tipo", comentou López Obrador.

A diminuição da nota de classificação seria uma consequência da suposta falta de cumprimento pelo México de regras da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI).

No entanto, López Obrador rejeitou as acusações e culpou os governos anteriores pelo estado atual da aviação.

"Temos cumprindo todos os requisitos, sentimos que esta decisão não deve ser tomada porque estamos atualizados", argumentou.

A diminuição ocorreria também após uma contração anual de 51,2% das companhias aéreas nacionais em 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19, com uma diminuição de 47,4% dos viajantes nacionais e 58,8% dos internacionais, de acordo com dados oficiais da Agência Federal de Aviação Civil.

A agência ainda reportou um decréscimo anual de 48,6% das companhias aéreas nacionais nos dois primeiros meses do ano, com um decréscimo de 64% dos passageiros internacionais e uma redução de 42,3% dos passageiros domésticos.

"Felizmente há uma recuperação no número de voos, há um aumento no número de voos, há mais movimento em todos os aeroportos nacionais", destacou López Obrador.

No passado, o atual governo causou incerteza no setor aéreo ao cancelar o projeto do Novo Aeroporto Internacional do México (NAIM) e por um plano que pretendia redesenhar o espaço aéreo da capital.