PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

EUA retomam diálogo com México em reconhecimento da agenda econômica comum

03/09/2021 20h39

Washington, 3 set (EFE).- O governo dos Estados Unidos afirmou nesta sexta-feira que a retomada do Diálogo Econômico de Alto Nível (Dean) com o México, previsto para o próximo dia 9, representa "um reconhecimento da profunda e ampla agenda econômica compartilhada".

A informação foi confirmada através de um comunicado divulgado hoje pela Casa Branca, explicando que será a primeira vez desde 2016 que o Dean será realizado.

O governo mexicano disse hoje que o diálogo buscará reforçar a "integração produtiva" entre as duas nações.

A parte mexicana será representada pelo secretário de Relações Exteriores, Marcelo Ebrard; a secretária de Economia, Tatiana Clouthier; e o subsecretário de Fazenda e Crédito Público, Gabriel Yorio.

Em seu comunicado, a Casa Branca não especificou quem serão seus representantes no Dean.

Os dois governos disseram que as discussões no Dean se concentrarão na: reconstrução em conjunto; promoção do desenvolvimento econômico, social e sustentável no sul do México e na América Central; e o investimento destinado aos cidadãos dos dois países.

A Casa Branca explicou em seu comunicado que o Dean serve para complementar e reforçar uma série de questões importantes na relação bilateral, como a recuperação da pandemia, a criação de "resiliência" à crise climática, a abordagem das causas da imigração e a cooperação em segurança assuntos.

O Dean foi criado em 2013 durante os mandatos dos ex-presidentes dos EUA Barack Obama, e do México Enrique Peña Nieto.

De acordo com Washington, esse diálogo serve para promover prioridades econômicas e comerciais comuns, como fomentar o crescimento e o desenvolvimento econômico, a criação de empregos, a competitividade global e a redução da pobreza e da desigualdade.

Os Estados Unidos são o principal parceiro comercial do México. Em 1º de julho de 2020, e após anos de negociações, entrou em vigor o novo acordo de livre-comércio entre o México, EUA e o Canadá (T-MEC).

PUBLICIDADE