PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

ONU afirma que 3 bilhões de pessoas não têm acesso a uma alimentação saudável

15/10/2021 21h46

Roma, 15 out (EFE).- A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), outras agências da ONU e líderes internacionais destacaram nesta sexta-feira, durante a celebração do Mundial Dia da Alimentação, a importância de uma alimentação saudável, à qual 3 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, juntou-se ao "apelo à ação para a segurança alimentar" da FAO, enquanto o papa Francisco pediu que "ultrapassem a lógica do mercado, avidamente focada no mero benefício econômico e na redução dos alimentos a mais uma mercadoria", em um evento no qual o astronauta Thomas Pesquet também participou a partir da Estação Espacial Internacional.

O combate ao desperdício de alimentos foi um dos pontos-chave da cerimônia organizada pela FAO para homenagear nesta edição os "heróis da alimentação" que prosseguiram durante os momentos mais críticos da pandemia do coronavírus.

"Globalmente, são produzidas cerca de 4 bilhões de toneladas de alimentos por ano, o suficiente para alimentar todo o mundo. Mas perdem-se 630 milhões de toneladas devido ao armazenamento deficiente e um terço dos alimentos é desperdiçado, o que representa um custo de US$ 3 bilhões", disse o diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA), David Beasley.

E ele lembrou que 811 milhões de pessoas no mundo sofrem de fome crônica e 42 milhões de pessoas em 43 países estão "literalmente à beira da fome".

Para combater "esta pandemia de fome", Beasley reiterou o pedido do PMA de "um adicional de US$ 6,6 bilhões para ajudar essas pessoas".

"É inadmissível que 10% da população mundial ainda vá para a cama com fome", criticou o presidente do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Gilbert Houngbo, destacando o papel dos pequenos produtores como fiadores do abastecimento de alimentos nos momentos mais difíceis da pandemia.

O diretor geral da FAO, Qu Dongyu, destacou o papel fundamental dos jovens na mudança para sistemas agroalimentares sustentáveis e garantindo alimentos para todos para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do Fome Zero da Agenda 2030. EFE

mol/phg

(foto)

PUBLICIDADE