PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

EUA têm centenas de voos cancelados pelo 3º dia seguido devido à ômicron

26/12/2021 19h32

Washington, 26 dez (EFE).- As principais companhias aéreas dos Estados Unidos cancelaram neste domingo, pelo terceiro dia consecutivo, centenas de voos devido ao avanço da variante ômicron da covid-19, informou a empresa americana Flight Aware, especializada em fornecer dados em tempo real de voos.

Pouco depois das 12h30 (horário local, 14h30 de Brasília) na costa leste dos EUA, 766 rotas que tinham como destino o país já haviam sido suspensas.

O número de 766 voos cancelados é um pouco menor do que os quase 1 mil ontem e 700 na sexta-feira, véspera de Natal, de acordo com o Flight Aware.

Em todo o mundo, 2.316 rotas já foram suspensas hoje, enquanto 8.071 sofreram atrasos.

A véspera de Natal, um dos dias do ano com maior movimento no tráfego aéreo, já começou com a suspensão de centenas de rotas nos EUA, mas a situação piorou com o passar do dia e, nos dois dias seguintes, as principais companhias aéreas americanas anunciaram mais cancelamentos.

De acordo com a Flight Aware, as companhias aéreas com mais cancelamentos continuam sendo a Delta, com 131 ou 5% de seus planos de voo cancelados hoje, seguida pela Jetblue (110 ou 10% dos itinerários suspensos) e United (100 ou 4%).

A United afirma que o aumento das infecções por ômicron nos Estados Unidos está tendo um "impacto direto" nas tripulações de voo e outros funcionários da empresa, que precisam ficar em casa para se recuperar da doença e não infectar outras pessoas.

Por sua vez, a Delta atribuiu os cancelamentos à ômicron, mas também às condições climáticas com tempestades de neve que ameaçam o oeste dos Estados Unidos, do estado de Washington até o sul da Califórnia.

No entanto, outras companhias aéreas dos EUA, como American e Southwest, garantiram que suas operações estão se desenvolvendo normalmente e que sofreram poucos cancelamentos.

Essas duas companhias aéreas, no entanto, tiveram que suspender centenas de viagens no final de outubro.

A variante ômicron tem causado um aumento das infecções em todo o mundo e levou alguns países europeus, como Alemanha, Portugal e Finlândia, a reimpor restrições aos setores de lazer e hotelaria.

De acordo com os Centros de Controle de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês), essa variante já se tornou predominante nos Estados Unidos, pois entre os dias 12 e 18 deste mês foi responsável por 73,2% dos novos casos.

Os Estados Unidos continuam sendo um dos países mais atingidos pela pandemia da covid-19, com mais de 816 mil

PUBLICIDADE