PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Emirates retomará voos para os EUA após adiamento da ativação do 5G

20/01/2022 14h50

Cairo, 20 jan (EFE).- A companhia aérea Emirates anunciou nesta quinta-feira que irá retomar seus voos para aeroportos dos Estados Unidos para os quais tinha suspendido a conexão aérea a partir desta sexta-feira depois que as empresas de telecomunicações Verizon e AT&T adiaram a implantação de serviços 5G perto dos aeroportos.

"Depois que as operadoras de telecomunicações atrasaram o lançamento de redes 5G nos aeroportos dos EUA, a Administração Federal de Aviação dos EUA e a Boeing emitiram avisos formais suspendendo a restrição anterior às operações de aeronaves, permitindo que a Emirates restaure com segurança as operações programadas para todos os destinos dos EUA até sábado", afirma um comunicado da companhia.

A partir desta sexta-feira, a companhia aérea restaurará suas operações de Boeing 777 para Chicago, Dallas (Fort Worth), Miami, Newark, Orlando e Seattle, enquanto os serviços da Emirates para Los Angeles, Nova York (JFK) e Washington não foram afetados.

Além disso, "os voos para Boston, Houston e São Francisco, nos quais a companhia aérea dispunha temporariamente de aeronaves A380 em 20 de janeiro, voltarão a operar com o Boeing 777 no sábado, 22 de janeiro", acrescenta a nota.

No início desta semana, a Emirates suspendeu seus serviços para alguns destinos nos EUA devido a uma possível interferência entre antenas 5G e sistemas de aeronaves.

Nesse sentido, o presidente da Emirates, Tim Clark, disse no comunicado que estão cientes de que a decisão das empresas de telecomunicações é "um adiamento temporário e uma resolução de longo prazo será necessária".

De acordo com as companhias aéreas, as novas faixas de frequência de 3,7 a 3,8 gigahertz (GHz), o chamado espectro de banda C, que dará às redes maior alcance geográfico e sinais mais rápidos, podem fazer com que sistemas de segurança de aeronaves se tornem "inutilizáveis".

Em particular, companhias aéreas e fabricantes de aeronaves, como Airbus e American Boeing, estão preocupados que os novos sinais de 5G próximos a aeroportos possam interferir nos rádio altímetros das aeronaves, que medem a distância entre a aeronave e o solo, bem como sistemas de dados que ajudam os aviões a pousar. EFE