PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Governo cubano reconhece situação econômica "tensa", mas destaca melhorias

30/03/2022 21h08

Havana, 30 mar (EFE).- A economia de Cuba permaneceu em uma situação "tensa" durante o mês de fevereiro, mas registrou melhoras em alguns indicadores, segundo informou a presidência do país em comunicado divulgado nesta quarta-feira.

O plano de exportação foi cumprido no mês passado - com aumentos em relação a janeiro e fevereiro de 2021 - e a produção agrícola subiu, embora não tenha atingido os níveis planejados e esteja "longe de satisfazer a demanda", segundo a nota.

Por sua vez, o turismo - a segunda maior contribuição para o Produto Interno Bruto (PIB) - está "mostrando progressos discretos", embora "ainda não tenha se recuperado da queda retumbante" de 2020 e 2021, acrescentou o comunicado.

O número de turistas estrangeiros em fevereiro ficou um terço abaixo do previsto, embora o governo ainda espere conseguir atingir seu objetivo de 2,5 milhões de visitantes internacionais.

A nota divulgada hoje também inclui a análise do último conselho de ministros, no qual foi abordada a situação da economia cubana, que passa por uma grave crise devido à combinação da pandemia, o endurecimento das sanções dos Estados Unidos e erros na política macroeconômica.

O presidente do país, Miguel Díaz-Canel, assegurou que devem ser mantidas as previsões de crescimento, que estimam um crescimento do PIB de 4% para o conjunto do ano.

Com esta taxa, o nível de 2019, antes da pandemia, ainda não seria recuperado, após a contração de 10% em 2020 e o avanço de cerca de 2% que as autoridades estimam ter sido alcançado em 2021.

O presidente cubano ordenou que sejam priorizadas medidas para "aumentar a produção", "melhorar a oferta de alimentos e medicamentos", assim como para melhorar os transportes públicos e estabilizar o sistema elétrico.

Díaz-Canel também defendeu a ampliação do investimento estrangeiro e o combate à escassez com medidas internas de produção e distribuição.

Além disso, se mostrou a favor da aplicação de "medidas antiinflacionárias", um dos grandes problemas da economia cubana hoje, junto com a escassez e a dolarização parcial.

A inflação interanual em Cuba situou-se em 23% no último mês de fevereiro. EFE