PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Lasso propõe emular UE com "grande zona de comércio livre" na América Latina

18/04/2022 18h56

Buenos Aires, 18 abr (EFE).- O presidente do Equador, Guillermo Lasso, propôs nesta segunda-feira, durante entrevista coletiva junto a seu homólogo da Argentina, Alberto Fernández, a criação de "uma grande zona de livre comércio" na América Latina para poder negociar com outras regiões do mundo de maneira "mais potemte".

Ambos os presidentes falaram à imprensa após realizarem um encontro bilateral na Casa Rosada, em Buenos Aires, no qual, entre outros assuntos, discutiram a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), que é presidida pela Argentina durante 2022.

"Concordamos em relação à Celac, que é uma organização multilateral que pode servir de plataforma para reconstruir essa unidade da América Latina e do Caribe na qual concordamos plenamente", disse Lasso.

Uma unidade que, como acrescentou, "não é necessariamente" baseada na "unanimidade de conceitos ou unanimidade de ideias", mas onde se sabe que as diferenças são tratadas "em um ambiente de diálogo" que visa a prosperidade dos povos.

"Em novembro do ano passado tive a oportunidade de propor à Celac uma visão um tanto prática no sentido de que, se quiséssemos imitar a UE (União Europeia), o primeiro passo que temos que dar é uma grande área de livre comércio para ter mais força e poder negociar com outras regiões do mundo de maneira mais potente, todos unidos na América Latina e no Caribe", destacou.

Em seguida, Lasso referiu-se à Cúpula das Américas que será realizada em junho nos Estados Unidos: "Acho que é um momento propício para resolver alguns problemas internos da América Latina e do Caribe e poder chegarmos unidos".

AMPLIAR O MERCOSUL.

Por sua vez, quando questionado por um jornalista se o Mercosul (formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) poderia considerar receber outras nações, Fernández respondeu que "sua ampliação ou incluir outros membros no mercado é uma definição que não cabe somente a mim e que de qualquer forma teremos que conversar com os países-membros".

Em seu discurso, o presidente argentino também defendeu a unidade latino-americana e garantiu que compartilha com Lasso uma visão comum sobre o que a região precisa.

"Propus que juntos, dois presidentes que não pensam exatamente igual, possamos propor hoje a toda a América Latina e o Caribe que iniciemos um programa de fraternidade que nos permita alcançar novamente os laços plenos que, devido ao império dos tempos que nos precederam, foram se quebrando e quebrando e que hoje precisamos recuperar novamente", acrescentou Fernández.

Acompanhado por vários de seus ministros, Lasso chegou a Buenos Aires no domingo para realizar hoje, em sua primeira visita oficial à Argentina, uma intensa agenda que começou com a tradicional oferenda de flores no Monumento ao Libertador General José de San Martín.

Após seu encontro com Fernández, Lasso visitará a Secretaria do Tratado da Antártida e conduzirá um encontro com empresários no âmbito do programa "Ecuador Open for Business". EFE