PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

López Obrador defende o fim do horário de verão no México

13/06/2022 16h44

Cidade do México, 13 jun (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, propôs nesta segunda-feira eliminar o horário de verão no país com o argumento de que prejudica a saúde, além de ser impopular.

"É muito provável que não haja mais horário de verão porque as pessoas não querem que haja essa mudança de horário", anunciou o presidente em sua entrevista coletiva matinal no Palácio Nacional.

López Obrador criticou o horário de verão, que no México começa no primeiro domingo de abril, quando os relógios são adiantados uma hora, e termina no último domingo de outubro, exceto nos estados de Quintana Roo (sudeste) e Sonora (noroeste), que não mudam, bem como a fronteira norte, que adota a mudança dos Estados Unidos.

Embora o presidente tenha prometido uma consulta para saber a opinião da população, anunciou que a proposta do governo do México seria pela eliminação.

"Isso tem a ver com a saúde, porque a afeta, e estamos dizendo a tempo de todos se prepararem", comentou.

O presidente descartou a economia de energia obtida pelo horário de verão, calculando que seja de 1 bilhão de pesos por ano (cerca de US$ 50 milhões).

"A economia é mínima, podemos alcançá-la assumindo o compromisso de cuidar da luz, ou seja, que não desperdiçá-la. O governo vai fazer isso, vamos apresentar um plano nesse sentido e com isso achamos que a questão econômica vai ser resolvida", disse.

A proposta do México coincide com uma discussão no Congresso dos Estados Unidos sobre a eliminação da mudança de horário, embora López Obrador tenha dito que prefere manter o "horário de inverno", enquanto os americanos debatem a preservação do horário de verão.

O presidente mexicano rejeitou que sua proposta tenha consequências econômicas como a desvalorização do peso mexicano ou desinvestimentos.

"Não haverá nenhum problema, pelo contrário, os investidores têm muita confiança no México, porque agora a corrupção e há um autêntico Estado de direito, é por isso que o investimento estrangeiro está chegando como nunca antes", afirmou López Obrador. EFE