Há consenso de que a política econômica atual vai continuar, diz Meirelles

Altamiro Silva Junior, Francisco Carlos de Assis, Aline Bronzati e Victor Aguiar

São Paulo

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o Brasil voltou a crescer e vai continuar crescendo ao longo do ano. Ele ressaltou que tem notado preocupações dos agentes sobre os rumos da política econômica em meio à recente crise política, mas disse acreditar que existe consenso no País hoje de que esta política econômica de controle do gasto público e da inflação do governo de Michel Temer vai continuar.

A afirmação de Meirelles arrancou aplausos do auditório lotado do seminário da Associação Brasileira da Indústria de Construção de Base (Abdib), em São Paulo. Este foi o primeiro evento público do ministro desde o início da crise.

"Estamos engajados nas reformas e vamos continuar", afirmou Meirelles. O Brasil viveu momentos diferentes e circunstâncias políticas diferentes no passado recente, disse Meirelles, logo no início de sua apresentação.

O ministro citou a recessão de 2015 e 2016, causada por decisões erradas de política econômica do governo anterior. "Estamos saindo da crise", disse ele, ressaltando que o Brasil hoje tem condições diferentes hoje do que tinha há um ano.

Entre as melhoras do governo de Michel Temer, Meirelles citou a medida que estabelece um teto para a alta dos gastos públicos. "No Brasil, a crise política gera uma crise econômica quando gera incerteza sobre a orientação da política econômica no futuro."

Meirelles ressaltou que o crescimento voltou no primeiro trimestre e a inflação está caindo, incluindo a de serviços. Essa queda da inflação deve aumentar o poder de compra dos brasileiros, disse ele, ressaltando que famílias e empresas se focaram nos últimos meses em reduzir seus passivos. "A retomada do crescimento é lenta porque as pessoas estão pagando dívidas."

O poder de compra, de acordo com o ministro, subiu 3% depois de muito tempo de queda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos