Bolsas

Câmbio

BC: sistema de metas e comunicação diminuem incerteza sobre futuro da inflação

Fabrício de Castro

Brasília

O chefe-adjunto do Departamento de Política Econômica do Banco Central, Renato Baldini, destacou nesta terça-feira, 4, as metas de inflação menores, estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), para os anos de 2019 e 2020. Em entrevista à área de comunicação do próprio BC, Baldini afirmou que os agentes econômicos têm percebido o compromisso da instituição em conter a inflação, o que se reflete nas expectativas de mercado.

"Não se trata de um simples anúncio. O sistema de metas e a comunicação transparente do BC com o público diminuem as incertezas quanto ao futuro da inflação e indicam aos agentes o alvo a ser perseguido", afirmou Baldini.

Na quinta-feira passada, o CMN definiu em 4,25% o centro da meta de inflação para 2019 e em 4,00% a referência para 2020. A margem de tolerância, para ambos os anos, é de 1,5 ponto porcentual. No Relatório de Mercado Focus da última segunda-feira, a projeção para 2019 estava exatamente em 4,25%, como vinha sendo registrado há semanas. No caso de 2020, a projeção do Focus foi de 4,25% para 4,00%, com o mercado se ajustando à meta estabelecida pelo CMN.

"À medida que são projetadas taxas de inflação mais baixas para o futuro, o mercado passa a trabalhar com essas expectativas para os seus próprios negócios", pontuou Baldini. "Se os empresários, trabalhadores e a sociedade como um todo acreditam que a inflação terá um nível mais baixo no futuro, isso ajuda de fato a ocorrer."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos