Bolsas

Câmbio

Alíquota para definição de IPI de veículos pode ter critério misto, diz Megale

André Ítalo Rocha

São Paulo

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, admitiu nesta quinta-feira, 6, que a nova política setorial que vem sendo elaborada pelo governo para a indústria automobilística, batizada de Rota 2030, poderá contar com um critério misto na definição das alíquotas do IPI para os veículos, mantendo o critério atual, segundo o qual as taxas são menores para veículos de menor potência, e adicionando um critério de eficiência energética.

As conversas entre o governo e o setor para a elaboração do Rota 2030 começaram em março e, em abril, quando as primeiras diretrizes foram divulgadas, dava-se como certo que o critério atual seria abandonado, dando lugar ao critério da eficiência energética, segundo o qual veículos mais econômicos teriam alíquotas menores. No entanto, segundo Megale, diversas alternativas estão sendo discutidas, entre elas essa proposta mista. A ideia é que o Rota 2030 entre em vigor no início de 2018, em substituição ao Inovar-Auto, que expira no fim de 2017.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos