Financeiras estão muito conservadoras na concessão de crédito, avalia Anfavea

André Ítalo Rocha

São Paulo

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, afirmou nesta quinta-feira, 6, que as instituições financeiras permanecem "muito conservadoras" na concessão de crédito para aquisição de veículos. "Os bancos ainda estão avessos ao risco, porque estão sofrendo com a inadimplência que tiveram lá atrás", afirmou, após coletiva de imprensa.

Megale espera que, com a redução da Selic nas próximas reuniões do Banco Central (BC), as instituições financeiras fiquem mais dispostas a assumir riscos e diminuam suas taxas de juros. "O nosso setor é muito dependente do crédito", ressaltou o executivo.

Em relação à geração de emprego nas montadoras instaladas no Brasil, o executivo afirmou que, mesmo com números maiores de produção, ainda não é o momento para contratação. "Estamos usando a capacidade ociosa e diminuindo a mão de obra que estava com jornada reduzida. Então, por enquanto, não acreditamos em crescimento nos postos de trabalho, mas a melhor utilização da capacidade instalada", disse Megale, acrescentando que a ociosidade do setor, hoje, é de 50%.

O presidente da Anfavea também comentou o acordo automotivo entre Brasil e Colômbia, que foi acertado em 2015, mas que ainda não entrou em vigor. Segundo Megale, havia a expectativa de que as regras estabelecidas passassem a valer no primeiro semestre deste ano, mas que, de última hora, houve uma "resistência inesperada" por parte do governo colombiano, o que deve atrasar a efetivação do acordo. Ele não detalhou os motivos da resistência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos