Bolsas

Câmbio

Ações comerciais de EUA e China devem levar a acordo, diz secretário americano

São Paulo

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, afirmou nesta quarta-feira que as ações comerciais que Washington e Pequim têm tomado nos últimos dias provavelmente levarão à negociação de um acordo. Em entrevista à CNBC, Ross preferiu não especificar quanto tempo levará para que as conversas se iniciem.

"Não seria surpresa nenhuma que o resultado disso tudo seja algum tipo de negociação. É muito difícil estabelecer um tempo específico nas negociações", disse Ross.

O secretário ainda se disse surpreso pela forma como os mercados acionários têm reagido às medidas retaliatórias da China. "Isso foi antecipado há semanas", afirmou.

Nesta quarta-feira, a China anunciou uma nova medida retaliatória contra os EUA, estabelecendo tarifas de 25% a um total de 106 produtos dos EUA avaliados em US$ 50 bilhões. Além de soja e veículos, as medidas também afetam as vendas de aeronaves, produtos químicos, sorgo e carne bovina.

Ontem, os EUA divulgaram uma lista de aproximadamente 1.300 produtos chineses que devem ser tarifados pelo governo americano. Em comunicado, o Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês) propõe um imposto adicional de 25% sobre US$ 50 bilhões em importados.

Segundo o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, as políticas e as práticas do governo chinês relacionados à transferência de tecnologia, a propriedade intelectual e a inovação "não são razoáveis e restringem o comércio dos EUA". (Flavia Alemi - flavia.alemi@estadao.com)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos