ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Temer agradece permanência de Maggi no cargo

Carla Araújo

Brasília

05/04/2018 14h18

Na semana em que perderá diversos ministros por causa da desincompatibilização eleitoral, o presidente Michel Temer fez um agradecimento público ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, por ter decidido ficar no governo. "Há poucos dias, recebi uma notícia que me deixou extremamente orgulhoso, disse ele: 'olha aqui, presidente, eu acho que estou fazendo um bom trabalho, acho que seu governo vale a pena e por isso vou abandonar qualquer pretensão política e continuar no ministério'. E isso merece aplausos", destacou Temer durante cerimônia para celebrar a erradicação plena da aftosa no Brasil e lançamento do Selo Brasil Livre de Aftosa, na sede da Embrapa, em Brasília.

Sem citar a grave crise financeira pela qual passa a instituição, Temer disse que estava feliz por comparecer à Embrapa e citou uma conversa que teve no passado com o empresário Bill Gates, que teria relatado apreciar a instituição brasileira. "A Embrapa é motivo de orgulho."

Conforme mostrou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, em janeiro, a Embrapa enfrenta uma crise política, orçamentária e científica sem precedentes em seus quase 45 anos de história, a serem completados justamente agora em abril. Maior instituição pública de pesquisa do País e responsável pela tropicalização de culturas como a soja, a Embrapa tem seu orçamento de R$ 3,5 bilhões ameaçado por um corte estimado em mais de 20% em 2018.

Em seu discurso, Temer salientou que o agronegócio é um dos setores mais importantes para a economia brasileira e que ajudou na recuperação do País. Segundo o presidente, em um país com a extensão territorial como o Brasil, é preciso parcerias de grandes instituições como a Embrapa, o Banco do Brasil, exemplificou. "É com união de forças que atingimos os nossos objetivos", disse.

Sem dar detalhes, o presidente afirmou que acredita que em breve o Brasil poderá ampliar o mercado de carnes para o Japão. "Estamos para firmar um acordo do Mercosul com o Japão", disse.

O presidente não ficou para o almoço oferecido na Embrapa pare celebrar o evento desta quinta-feira, 5.

Mais Economia