Bolsas

Câmbio

Tensões EUA-China têm vários canais de transmissão para economia, diz Moody?s

São Paulo

A agência de classificação de risco Moody?s alerta que a escalada da tensão comercial entre Estados Unidos e China pode ter impacto econômico e financeiro além do que seria transmitido por meio de canais de comércio direto, caso as tarifas sejam implementadas.

"A incerteza pesará no sentimento do investidor e provavelmente levará a uma maior volatilidade no mercado financeiro nos próximos meses. Se as tensões comerciais persistirem ou aumentarem, provavelmente afetarão as decisões das empresas sobre onde localizar suas cadeias de fornecimento globais. Isso, por sua vez, afetaria o investimento de capital e reduziria a eficiência da produção em meio ao já baixo crescimento da produtividade global", avalia a Moody?s, ponderando que China e EUA devem evitar uma escalada severa das restrições comerciais.

De acordo com a Moody?s, as tarifas já adotadas pelos EUA sobre painéis solares, máquinas de lavar, aço e alumínio da China devem ter impacto limitado e de curto prazo sobre o crescimento econômico e a inflação desses países.

A agência estima que o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA crescerá 2,7% em 2018 e 2,3% em 2019, enquanto a expectativa para a economia chinesa é de expansão de 6,6% em 2018 e de 6,4% em 2019. Entretanto, a Moody?s observa que o risco de aprofundamento das tensões comerciais pode levar a uma revisão para baixo nestas previsões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos