ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

BoE mantém juros em 0,50%, mas sinaliza elevações futuras

Londres

10/05/2018 08h36

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) decidiu manter nesta quinta-feira manter sua taxa básica de juros em 0,50%, em decisão tomada por sete votos a dois. O programa de compra de ativos também foi mantido em 435 bilhões de libras, este em decisão unânime.

De acordo com a autoridade monetária, a desaceleração no crescimento econômico durante o primeiro trimestre de 2018 foi, provavelmente, temporária, e não tão severa como estimado. Assim, a entidade ainda espera elevar os juros nos próximos anos. A libra passou a cair ante o dólar após a decisão, enquanto a Bolsa de Londres virou para o campo positivo.

A posição do BoE está em linha com a de outros grandes bancos centrais, sugerindo que eles ainda precisam alterar consideravelmente seus planos de levar a política monetária de volta para configurações consideradas normais antes da crise financeira, apesar de alguns sinais inesperados de enfraquecimento da expansão global no começo do ano.

"Se a economia se desenvolver de acordo com as projeções, um aperto contínuo da política monetária seria apropriado", disse o Comitê de Política Monetária (MPC, na sigla em inglês).

Para o BoE, parte da fraqueza econômica do primeiro trimestre está relacionada ao clima, e, ao mesmo tempo, suas fontes de informação sugerem que a economia britânica estava mais forte do que o estimado pela agência oficial de estatísticas. Apesar de ter cortado a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 1,8% para 1,4%, para levar em consideração a fraqueza do começo do ano, o BOE manteve as estimativas para o segundo trimestre e para os anos subsequentes.

Junto com a decisão de política monetária, o BOE publicou também o relatório de inflação, no qual ele prevê a desaceleração dos preços de volta para a meta de 2% no início de 2020. Fonte: Dow Jones Newswires.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia