Topo

OAB-SP defende Justiça do Trabalho e cobra recriação de Ministério

Pedro Ladeira/Folhapress
3.jan.2019 - Funcionários colocam letreiro do Ministério da Economia no prédio onde funcionava o Ministério do Trabalho, na Esplanada dos Ministérios Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Daniel Weterman

São Paulo

11/01/2019 14h27

A Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP) reagiu à intenção do presidente Jair Bolsonaro de extinguir a Justiça do Trabalho. Resolveu organizar um movimento para defender a manutenção da estrutura, além de reivindicar a recriação do Ministério do Trabalho, cujas funções foram incorporadas em outras pastas.

No primeiro comunicado do ano, a nova gestão informou que vai organizar um movimento de conscientização "quanto à indispensabilidade, manutenção e aprimoramento do funcionamento da Justiça do Trabalho e da importância da reinstituição do Ministério do Trabalho.

Em entrevista ao Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) publicada no último dia 7, o novo presidente da OAB-SP, Caio Augusto Silva dos Santos, afirmou que a instituição teria forte atuação no governo de Jair Bolsonaro e dos demais governantes eleitos no ano passado.

"Estaremos à disposição de todos os Poderes para empunharmos juntos a defesa da democracia e da cidadania, mas jamais seremos subservientes a qualquer governo de plantão", disse.

Mais Economia