IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Azul terá de reavaliar proposta pela Avianca, diz analista

Fabiana Holtz

São Paulo

2019-04-03T17:04:00

03/04/2019 17h04

A Azul provavelmente terá de reavaliar sua proposta após a decisão da gestora americana Elliott, maior credor da dívida da Avianca Brasil, de dividir os ativos em várias partes e convidar Gol e Latam para participarem do processo, segundo um analista do setor que pede para não ser identificado. "Mudou um pouco o cenário. Provavelmente uma dessas sete unidades produtivas (UPIs) que serão criadas deve interessar a Azul. Um possível resultado desse leilão seria cada uma das aéreas ficar com um pedaço 'saudável' da Avianca (sem passivos trabalhistas ou tributários)", estima o analista.

O movimento desta quarta-feira, na visão do analista, representa uma tentativa de maximizar o valor da empresa, conseguindo assim pagar suas dívidas. "A maior parte desse valor, porém, se refere a ativos que a companhia não tem. Nesse ponto é que entra o governo", observa o analista, se referindo aos 70 slots envolvidos na negociação, que não são de propriedade da Avianca e sim uma concessão.

A questão trabalhista, por exemplo, é outra questão sensível a ser resolvida, acrescenta. "A recontratação dos funcionários da Avianca seria feita através de um novo contrato. Não sabemos se os funcionários irão aceitar os novos termos."

A dívida tributária a ser paga é outro incógnita, dado que não se sabe como isso entrará na conta. "É outra questão que fica para o governo resolver", observa o analista.

Mais Economia