IPCA
0,1 Out.2019
Topo

EUA: Plano de paz para o Oriente Médio inclui investimentos de US$ 50 bilhões

Tel Aviv

22/06/2019 15h39

O plano de paz do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para o Oriente Médio vai mobilizar US$ 50 bilhões em investimentos ao longo de 10 anos para os territórios palestinos e os vizinhos da Jordânia, Egito e Líbano, segundo afirmaram autoridades do governo neste sábado.

A parte econômica do plano de paz visa demonstrar o que seria possível se os israelenses e os palestinos concordassem com o plano político ainda não revelado da administração Trump sobre fronteiras, refugiados e segurança. Suas metas incluem dobrar o PIB palestino, reduzir as taxas de desemprego de 17,6% na Cisjordânia e 52% em Gaza para quase um dígito, e reduzir a taxa de pobreza palestina em 50%.

O governo Trump está organizando uma conferência no Bahrein nas próximas terça e quarta-feira para solicitar comentários sobre o projeto, incluindo os estados do Golfo Pérsico que a administração espera que estejam entre os maiores doadores de ajuda econômica.

O projeto econômico não menciona algumas das questões mais difíceis do conflito, incluindo o status de refugiados, Jerusalém ou fronteiras. Soluções potenciais para essas questões não serão reveladas até novembro, após as eleições de Israel em setembro.

"Primeiro levante o cerco de Gaza, pare o roubo israelense de nossas terras, recursos e fundos, nos dê liberdade de movimento e controle sobre nossas fronteiras, espaço aéreo, águas territoriais etc. Então, vão nos ver construir uma economia próspera e vibrante como um povo livre e soberano ", disse Hanan Ashrawi, um alto funcionário palestino, no Twitter. O gabinete do primeiro-ministro de Israel não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Fonte: Dow Jones Newswires.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia