IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Apoiadores e membros do governo comemoram pelo Twitter acordo entre Mercosul e UE

Gregory Prudenciano

São Paulo

28/06/2019 16h57

Integrantes do governo Jair Bolsonaro foram ao Twitter para comemorar o acordo comercial firmado nesta sexta-feira, 28, entre Mercosul e União Europeia (UE). O acordo entre os blocos tem sido visto pelos membros do governo como uma vitória da diplomacia brasileira e como um cumprimento de promessa do presidente, que durante a campanha de 2018, falou em promover acordos "sem viés ideológico".

"Prometi que faria comércio com todo o mundo, sem viés ideológico. Não foi retórica vazia de campanha, típica da velha política. É pra valer! Estou cumprindo mais essa promessa, que renderá frutos num futuro próximo. Vamos abrir nossa economia e mudar o Brasil pra melhor!", escreveu o presidente Bolsonaro.

Filho do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse que, com o acordo, o Mercosul "vai deixando de ser o bloco mais fechado do mundo" e que "isso só foi possível com presidentes não socialistas", citando então Jair Bolsonaro e Maurício Macri, da Argentina.

Felicitado nas redes sociais, o chanceler Ernesto Araújo lembrou que as negociações entre o bloco europeu e o latino-americano se arrastaram pelos últimos 20 anos. Segundo o ministro, "as propostas trazidas pelo Brasil nos últimos meses foram fundamentais para esta vitória da nossa diplomacia comercial".

O assessor especial da Presidência da República Filipe Martins atribuiu o acordo à "política de abertura e competitividade que estamos levando adiante neste novo governo".

O perfil oficial do Itamaraty no Twitter publicou uma foto na qual aparecem sorridentes Ernesto Araújo, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o secretário especial de Comércio Exterior do ministério da Economia, Marcos Troyjo.

"O Itamaraty coordenou o esforço negociador do governo brasileiro. O acordo Mercosul-UE contribuirá para o esforço de abertura e competitividade da economia brasileira com o objetivo de fazer o país retomar o caminho do crescimento dinâmico e sustentado", publicou o ministério junto com a foto.

A ministra Tereza Cristina agradeceu ao presidente Bolsonaro e também citou as longas negociações. "Momento aguardado há 20 anos! Um grande dia para todos nós! Obrigada, presidente", tuitou.

A líder do governo no Congresso Nacional, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), disse que este foi o "segundo maior tratado assinado pelos europeus". "A maior parte dos produtos será comercializada com tarifa zero, mas as serão mantidas para alguns produtos agrícolas", escreveu a deputada.

Uma nota conjunta foi divulgada pelos ministérios da Economia, Agricultura e Relações Exteriores. Nela, as pastas afirmam que o acordo será responsável por uma ampliação de quase US$ 100 bilhões nas exportações brasileiras para a União Europeia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia