PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Leilão de Energia Nova A-4 viabiliza 401,6 MW de novos projetos

Luciana Collet

São Paulo

28/06/2019 14h25

O leilão de Energia Nova A-4, operacionalizado na manhã desta sexta-feira, 28, pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), foi encerrado, após cerca de duas horas e meia de negociações, movimentando um total de R$ 2,644 bilhões, com a contratação de 17.497.384 megawatts-hora (MWh) ou 88,1 MW médios, ao preço médio de R$ 151,15/MWh, o que corresponde a um deságio médio de 45,03%.

O volume contratado ficou abaixo da mais pessimistas das projeções, que oscilavam entre 150 MW médios e 300 MW médios, mas o certame surpreendeu pelo valor da energia contratada, em especial proveniente de projetos solar fotovoltaicos, que chegou a um valor médio de venda de R$ 67,48/MWh, um novo recorde histórico de baixa para a fonte, sendo que alguns contratos foram fechados a R$ 64,99/MWh, ante o teto de R$ 208/MWh estabelecido para a fonte. Até agora, o valor mais baixo do MWh solar contratado em leilão era de R$ 17,46/MWh.

O valor negociado da energia solar no certame também chama a atenção do ponto de vista global, já que em dólar o valor do MWh ficou em US$ 17,46, abaixo dos US$ 17,86/MWh negociado em projeto localizado na Arábia Saudita

Um total de 15 empreendimentos, de fonte solar, eólica hídrica e térmica a biomassa, foram contratados, somando 401,6 GW de potência instalada.

Segundo dados divulgados pela CCEE, tais projetos consumirão um total de R$ 1,892 bilhão em investimentos.

Repetindo o que ocorreu no leilão A-4 passado, realizado em abril de 2018, a fonte solar foi a que mais vendeu energia. Um total de 6 projetos solar fotovoltaicos comercializaram 21 MW médios, viabilizando usinas com 203,7 MW de potência ou 62 MW médios de garantia física.

Apenas 3 projetos eólicos venderam energia no certame, somando 15,2 MW médios, ao preço médio de R$ 79,99/MWh, deságio de 61,54% ante o preço teto de R$ 208/MWh.

Uma térmica a biomassa de 21,39 MW de potência vendeu 7,4 MW médios, ao preço de R$ 179,67/MWh, deságio de 42%, enquanto cinco projetos de pequenas centrais hidrelétricas - incluindo um da Cemig GT e outro da Celesc Geração, venderam juntos 37,4 MW médios, a R$ 198,12/MWh, deságio de 31,2%.