IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Para Waldery, cessão onerosa é o maior evento da política energética e fiscal

Altamiro Silva Junior, Barbara Nascimento e André Ítalo Rocha

São Paulo

08/08/2019 16h08

O secretário Especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou que o leilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal é o maior evento das políticas energética e fiscal do Brasil este ano. O leilão de cerca de 10 bilhões de barris de petróleo está marcado para 6 de novembro e a União deve ficar com R$ 52 bilhões. O secretário participou de evento do BTG Pactual nesta quinta-feira.

O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, no mesmo evento, explicou que o valor arrecadado com a cessão onerosa do leilão em novembro só entra no caixa do governo em 23 de dezembro. "Como vai ser na última semana do ano, e ainda bem que será na última semana, será tudo ganho de resultado primário."

O leilão do excedente deve render perto de R$ 106 bilhões e a parte líquida que fica com a União é de R$ 52 bilhões, após divisão com Estados e municípios. "A cessão onerosa é disparado o maior evento fiscal deste ano", disse Waldery, afirmando que também é o maior leilão do mundo em termos de receita petróleo.

Waldery ressaltou que o governo não tem planos de mudar a meta de déficit primário para este ano. Ainda sobre a cessão onerosa, o secretário contou que cerca de 35 pessoas ficaram envolvidas em tempo integral no Ministério da Economia para resolver a questão, que se arrasta desde 2010.

Waldery afirmou que o governo vê interesse gigantesco no leilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal. "Teremos boas novas a receber no final do ano", disse ao falar do leilão.

Waldery disse que o governo já conversou com as principais empresas de petróleo do mundo e notou forte interesse pelo leilão. Além da cessão onerosa, o secretário ressaltou que o Planalto tem expectativa de receita "muito grande" associada à exploração do petróleo no futuro.

Economia