IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Huawei anuncia fábrica de celulares e tablets

Pedro Venceslau

Xangai

10/08/2019 09h39

A multinacional chinesa Huawei anunciou ontem que abrirá uma nova fábrica de celulares e tablets em São Paulo em São Paulo, em 2021. O anúncio foi feito em Xangai por Steven Shen, vice-presidente da empresa no Brasil, e pelo governador de São Paulo, João Doria, que está em missão comercial na China.

No Brasil, porém, a empresa não confirmou a informação. Segundo Doria, o investimento será de US$ 800 milhões, em três anos e a unidade abastecerá a América do Sul. Em nota, a Huawei no País disse apenas que "considera instalar uma fábrica em São Paulo no futuro". A empresa, porém, se recusou a confirmar prazo, valores e o plano de criar uma base de exportações à região.

No evento em Xangai, foi informado que a empresa aguardará o leilão da Anatel para a frequência 5G, previsto para março de 2020, para começar a obra. A Huawei já tem uma fábrica em Sorocaba (SP), com 2 mil funcionários diretos e 15 mil indiretos.

Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, que integra a comitiva brasileira na China, disse que a multinacional também fará investimentos no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

O anúncio foi capitalizado por Doria como uma vitrine de sua gestão. Enquanto o presidente Jair Bolsonaro busca um alinhamento total com os Estados Unidos, Doria busca se aproximar da China.

Segundo ele, os chineses pretendem investir em equipamentos, escolas de ensino técnico e num projeto de digitalização da educação. A ideia, afirmou, é acabar com o giz e o quadro negro nas ETECs.

O tucano viajou para Pequim, Xangai e Xiam em busca de interessados no programa de desestatização do governo paulista. A comitiva de Doria conta com quatro secretários e 30 empresários brasileiros interessados em negócios com os chineses.

Ainda ontem, Doria e o secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, inauguraram o escritório do governo paulista em Xangai. A previsão é que, no ano que vem, seja inaugurado um escritório em Dubai. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Economia