Topo

Joice: governo quer retirar destaque sobre cartórios à MP da Liberdade Econômica

A deputada federal, Joice Hasselmann - Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress
A deputada federal, Joice Hasselmann Imagem: Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress

Lorenna Rodrigues e Daniel Weterman

Brasília

21/08/2019 17h24

A líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann (PSL-SP), disse que o governo trabalha para derrubar um destaque que vem sendo costurado para mudar o texto da Medida Provisória da Liberdade Econômica (881), prevista para ser votada hoje.

Ao chegar no Senado, o presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) disse que a medida será votada ainda hoje se houver quórum. Os secretários de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, e de Desburocratização, Paulo Uebel, além de técnicos da equipe econômica, estão no Senado nas últimas negociações para a votação.

Segundo o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, apurou, parlamentares estão sendo procurados por representantes de cartórios, na tentativa de retirar do texto aprovado na Câmara dos Deputados a previsão de que o registro de regulamentos de fundos de investimento não precisa mais ser feito em cartórios, valendo apenas o registro da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

De acordo com dados da equipe econômica, isso é importante para reduzir os custos de investimento no Brasil, já que o custo de registro de regulamentos é significativo para o mercado brasileiro, que despende anualmente R$ 3,8 milhões na constituição de fundos.

O temor do governo é que, se o texto for alterado, a MP teria que voltar para a Câmara dos Deputados e pode acabar caducando, já que perde a validade no dia 27. Uma alternativa, se não houver acordo, seria suprimir o trecho do projeto, o que poderia ser feito sem nova votação pelos deputados.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia