IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Reforma da Previdência


Comissão definirá se PMs serão incluídos em PL dos militares, diz Marinho

O relator da reforma Trabalhista de Temer, Rogério Marinho, atual secretário da Previdência, conversa com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia
Imagem: O relator da reforma Trabalhista de Temer, Rogério Marinho, atual secretário da Previdência, conversa com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Mariana Haubert

Brasília

29/08/2019 12h50

O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou que a inclusão dos policiais militares e bombeiros no projeto de lei que aperta as regras de aposentadoria das Forças Armadas e sinaliza para a manutenção dos reajustes e gratificações concedidos à carreira dependerá de uma decisão política da Comissão Especial que analisa o texto.

"Para que policiais militares sejam incluídos, é necessário que o Parlamento discuta isso. Acredito que cada parlamentar aqui, que representa alguma categoria, tem legitimidade de apresentar sugestão de mudança e o relator vai levar em consideração. Vamos aguardar o processo", disse o secretário, que participou pela manhã de uma audiência pública na Comissão Especial da Câmara que analisa a proposta.

Na sua explanação inicial, o secretário detalhou os principais pontos do projeto e argumentou que a reestruturação da carreira, ponto criticado da proposta, possibilitará a manutenção dos militares na ativa por mais tempo. "Houve no início uma crítica muito forte de que o governo estaria privilegiando de alguma maneira a carreira das Forças Armadas", disse.

A proposta prevê uma economia líquida de pelo menos R$ 10,45 bilhões em uma década, valor que sobra da reforma após descontar o impacto dos aumentos para os militares. O secretário responde, neste momento, a perguntas dos integrantes da comissão.

Mais Reforma da Previdência