PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Formação Bruta de Capital Fixo sobe 3,2% no 2º trimestre ante 1º tri, diz IBGE

Daniela Amorim, Mariana Durão e Vinicius Neder

Rio

29/08/2019 10h18

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) subiu 3,2% no segundo trimestre de 2019 em relação ao primeiro trimestre de 2019. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que anunciou nesta quinta-feira, 29, os resultados das Contas Nacionais Trimestrais.

Na comparação com o segundo trimestre de 2018, a FBCF mostrou alta 5,2%.

Segundo o instituto, a taxa de investimento (FBCF/PIB) ficou em 15,9% no segundo trimestre de 2019.

Taxa de poupança

A taxa de poupança ficou em 15,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre de 2019, segundo IBGE.

Exportações

As exportações diminuíram 1,6% no segundo trimestre de 2019 em relação ao primeiro trimestre de 2019.

Na comparação com o segundo trimestre de 2018, as exportações mostraram alta de 1,8%.

As importações contabilizadas no PIB, por sua vez, subiram 1,0% no segundo trimestre de 2019 em relação ao primeiro trimestre de 2019. Na comparação com o segundo trimestre de 2018, as importações mostraram alta de 4,7%.

A contabilidade das exportações e importações no PIB é diferente da realizada para a elaboração da balança comercial. No PIB, entram bens e serviços, e as variações porcentuais divulgadas dizem respeito ao volume.

Já na balança comercial, entram somente bens, e o registro é feito em valores, com grande influência dos preços.

Necessidade de financiamento

O País atingiu uma necessidade de financiamento de R$ 11,0 bilhões no segundo trimestre de 2019, ante uma necessidade de financiamento de R$ 1,8 bilhão no segundo trimestre de 2018, segundo o IBGE.

O saldo externo de bens e serviços diminuiu de R$ 17,1 bilhões no segundo trimestre de 2018 para R$ 15,7 bilhões no segundo trimestre de 2019, uma redução de R$ 1,5 bilhão.

Ao mesmo tempo, a renda líquida de propriedade enviada ao resto do mundo subiu de R$ 21,5 bilhões no segundo trimestre de 2018 para R$ 30,2 bilhões no segundo trimestre de 2019, um aumento de R$ 8,8 bilhões.