PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Infraestrutura/Freitas: Decisão da S&P é 'excelente' para atrair investimentos

Denise Luna

Rio de Janeiro

12/12/2019 15h40

A mudança de perspectiva da nota do Brasil pela S&P, anunciada na quarta-feira, 11, é uma excelente sinalização da agência de classificação para a retomada do grau de investimento do País, e vai aumentar a atratividade do Brasil para os investidores estrangeiros, afirmou há pouco o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

"(A alteração) foi em cima da aprovação das reformas. A reforma da Previdência foi fundamental, eles (S&P) viram que o Brasil vai caminhar na direção da solvência", avaliou Freitas durante visita à obra da Ecoponte, no Rio de Janeiro, concessionária da Ponte Rio-Niterói.

Freitas ressaltou a importância do setor privado no desenvolvimento do País e prevê que a melhora de perspectiva para o Brasil pelas agências de rating vai impulsionar investimentos para as mais de 40 concessões que pretende vender em leilões em 2020.

A maior delas, da Rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio de Janeiro a São Paulo, deverá ter uma arrecadação bilionária para o governo. A consulta pública será aberta em janeiro e a previsão de Freitas é de que haja muita concorrência no leilão previsto para o final do ano.

"Com o leilão serão R$ 13 bilhões de investimentos na Nova Dutra, vão ser várias terceiras faixas. quarta faixas, uma nova descida da Serra das Araras. Será um leilão híbrido, provavelmente vamos conciliar menor tarifa com maior outorga", informou.

Segundo ele, a questão da solvência, a relação dívida/PIB (Produto Interno Bruto) e a diminuição da dívida pela queda de juros vão trazer mais investimentos.

"Eles (investidores) estão percebendo esses movimentos, essas reformas estruturais e começando a perceber a aceleração, e é a aceleração que vai trazer a classificação de risco", afirmou o ministro, sem querer estimar quando a nota do País poderá ser elevada.

Para o ministro, as agências estão atentas à maior participação do capital privado no investimento do País. "A gente começa a experimentar um crescimento lastreado em capital privado, que é muito sustentável no longo prazo, e as agências de classificação estão percebendo isso", completou.

O ministro visitou hoje o canteiro de obras da construção das duas alças que farão interligações à ponte, um investimento de R$ 450 milhões já previsto, que fez parte da licitação da concessão da Ponte Rio-Niterói, realizada em 2015. A primeira alça, de 2,5 quilômetros, já está 90% pronta e liga a ponte à Linha Vermelha, com previsão de ser entregue em fevereiro. A segunda etapa, de 3,2 quilômetros, tem por objetivo desafogar o trânsito de carga da Avenida Brasil, a mais movimentada da cidade, e fica pronta em julho do ano que vem.