PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Covid-19: 4 navios de apoio offshore têm operações suspensas na Baía de Guanabara

Denise Luna

Rio

23/04/2020 11h39Atualizada em 23/04/2020 19h19

A Anvisa informou que quatro navios que prestam serviços offshore estão com as operações suspensas na Baía da Guanabara, no Rio de Janeiro, após pelo menos 30 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus (covid-19). Os navios prestam serviço na região do pré-sal na bacia de Campos. Segundo a Petrobras, quem está respondendo pela suspensão das operações de um dos navios, o Seven Sun, é a Subsea, que afreta a embarcação.

"A Anvisa determinou que estas embarcações não podem operar. O objetivo é prevenir a disseminação da covid-19 entre seus tripulantes que normalmente cumprem jornadas de longa duração em alto mar", informou a Anvisa em nota.

O tempo de impedimento para cada navio poderá variar de acordo com a data do último caso a bordo em cada navio e também com a estratégia de substituição da tripulação para cada empresa.

A Anvisa disse ainda que foi determinado que a tripulação a bordo cumpra as medidas de isolamento, o que pode ser feito no próprio navio, em domicílio ou em hotéis pagos pelas empresas responsáveis pelos navios.

Estão parados na baía da Guanabara o Seven Sun, com três casos confirmados de coronavírus em isolamento em hotel; o Fulmar, com oito casos positivos e também isolados em hotéis; o Navegantes Pride, com 14 casos com isolamento em hotel e o Skandi Peregrino, com cinco casos isolados dentro do navio.

A Subsea 7 Brasil confirmou que três membros da tripulação da embarcação Seven Sun foram diagnosticados com covid-19 e desembarcados desde o último dia 17. "Um deles está assintomático e os outros dois apresentam sintomas leves. Os colaboradores foram transferidos para um hotel e estão sendo acompanhados por nossa equipe médica", informou a empresa em nota.

Produção

No caso do Seven Sun, de acordo com o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores do Transporte Aquaviários e Afins (FNTTAA), Ricardo Ponzi, a tripulação é composta por 90 pessoas. "Não é o primeiro nem vai ser o último. Se tiver um colapso nessa atividade vai parar a produção de petróleo", alertou Ponzi ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. "Noventa por cento do petróleo vem do mar, só queremos que eles retornem em segurança para o alto mar", completou.

Nota da empresa

Veja abaixo a resposta da empresa:

"A Subsea 7 Brasil informa que 3 membros da tripulação da embarcação Seven Sun foram diagnosticados com o COVID-19 e desembarcados desde o dia 17/04, em sequência. Um deles está assintomático e os outros dois apresentam sintomas leves. Os colaboradores foram transferidos para um hotel e estão sendo acompanhados por nossa equipe médica.

Estes casos já foram comunicados às autoridades, que estão nesse momento avaliando nossas ações e toda documentação enviada pela Subsea 7. A equipe de resposta a emergências foi mobilizada e já tomamos as medidas para nos alinharmos com as autoridades de saúde (ANVISA), nosso cliente e a Marinha do Brasil, para seguir protocolos pré-estabelecidos.

Todos os membros da tripulação já foram testados e já foram desembarcados todos os que apresentaram sintomas gripais. Não há outros casos confirmados até o momento, entretanto nossa equipe médica permanece monitorando o estado de saúde de todos os colaboradores. Além disso, uma empresa especializada fez a limpeza e descontaminação de áreas comuns e cabines.

No momento, nossa prioridade é proteger e manter a segurança e o bem-estar de todos os que estão a bordo.