PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Mansueto: Se passou ideia que haveria aumento de gasto público, não vai acontecer

Lorenna Rodrigues

Brasília

30/04/2020 18h53

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse que houve um "ruído de comunicação" na divulgação do Pró-Brasil. "Se passou ideia que haveria aumento de gasto público, isso não vai acontecer ", afirmou.

Em live organizada pelo jornal Folha de S.Paulo, o secretário disse que é necessário um aumento de 5% a 7% do PIB de investimento para o Brasil crescer e não é possível aumentar o investimento público nesse montante.

O secretario ressaltou a necessidade de, após a pandemia, retomar a agenda de reformas para melhorar o ambiente de negócios e atrair investimentos privados. "O governo não vai sair gastando sem se preocupar com a sustentabilidade das contas. Não me preocupa um ano isolado, mas se país avança no sentido certo", completou.

Ele lembrou que, mesmo com a polarização política, o país conseguiu um "consenso mínimo" para aprovar reforma da Previdência "robusta". "Há boa vontade de todo mundo de acertar canal de comunicação e voltar a discutir reformas."

Programas

Mansueto sinalizou que o governo poderá renovar programas de auxílio econômico caso os efeitos da pandemia de coronavírus perdure por mais de três meses, prazo dado para medidas como o auxílio emergencial de R$ 600 e a complementação para quem teve o salário reduzido.

Em live organizada pelo jornal Folha de S.Paulo, o secretário ponderou que o patamar atual de menos de 500 mortes por dia por coronavírus ainda é inferior do pico alcançado por outros países, como Itália e Espanha.

"Se ainda estivermos em risco daqui a três meses, teremos que ver. Se a situação continuar muito grave, teremos que ver quais programas serão renovados e em quais valores", afirmou.