PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

BIS: em muitos países, classes baixa e média podem não conseguir pagar dívidas

Gabriel Bueno da Costa

São Paulo

15/06/2020 12h42

O Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês) destaca em relatório que, em muitos países, as classes baixa e média têm colchões insuficientes de liquidez para enfrentar um período prolongado de desemprego sem não conseguir pagar suas dívidas. O lembrete consta de boletim elaborado por Anna Zabai, do Departamento Monetário e Econômico do BIS, que ressalta a importância da resiliência da classe média: "eles detêm relativamente mais dívida (hipotecas) e são mais vulneráveis nos países que são mais duramente expostos ao choque econômico".

Zabai lembra que a pandemia da covid-19 provoca restrições à circulação pelo mundo, com impacto sobre as pessoas, como menos horas trabalhadas, licenças não remuneradas ou mesmo o desemprego.

A economista diz que o desemprego extra, na pandemia, recairá sobre pessoas na metade mais baixa da distribuição de renda. Ela recorda que o desemprego recai desproporcionalmente sobre grupos de baixa renda. Os setores mais afetados, como hospitalidade, varejo, turismo e manufatura, também apoiam a visão de que as classes baixa e média sofrem mais risco de desemprego, afirma.

No contexto atual, Zabai destaca que a resiliência das famílias é uma questão para a estabilidade macroeconômica e financeira. Ela lembra que formuladores de política adotaram várias medidas para dar às famílias mais capacidade de aliviar o quadro, com o choque atual, e diz que a extensão dessas intervenções irá refletir considerações de política econômica e também o quão expostas estarão as famílias ao impacto da pandemia.

Economia