PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Correção: Mercedes-Benz inaugura linha de produção de ônibus

Eduardo Laguna

28/09/2020 16h10

Att. Srs. Assinantes

Há uma incorreção na matéria publicada anteriormente. Roberto Leoncini é vice-presidente e não diretor de marketing e vendas da Mercedes-Benz como constava. Segue texto corrigido:

No dia em que completa 64 anos no Brasil, a Mercedes-Benz inaugurou nesta segunda-feira, 28, uma nova linha de produção de chassis de ônibus que recebeu investimentos de R$ 107 milhões no parque industrial da montadora em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

A apresentação das instalações foi feita em transmissão virtual à imprensa, na qual diretores da Mercedes disseram que, apesar da queda superior a 34% do mercado de ônibus neste ano, este é o momento certo de investir em transporte coletivo.

Conforme previsões da companhia, o mercado de coletivos deve reagir em 2021, após fechar este ano na faixa de 12 mil a 13,7 mil unidades licenciadas. A expectativa é de um crescimento de 15% a 20% das vendas da indústria, algo que ainda não permitiria voltar, contudo, aos volumes de 2019.

"Mas é uma informação positiva porque é crescimento. O desempenho vai depender do crédito que será ofertado pelos bancos a esse segmento, mas estamos otimistas", comentou Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing da divisão de ônibus da Mercedes, salientando a perspectiva de retorno gradual dos passageiros de ônibus.

Roberto Leoncini, vice-presidente da Mercedes-Benz, lembrou que, além do impacto na economia e as restrições de circulação no enfrentamento da pandemia, o setor lida com a menor confiança das pessoas em usar veículos de transporte coletivo, dada a preocupação com o risco de contágio.

Em razão da queda de demanda, a fábrica de ônibus da Mercedes funciona hoje em apenas um turno de produção. A nova linha, que recebeu investimentos superiores a R$ 100 milhões, faz parte do ciclo de investimentos iniciado em 20018 e que prevê R$ 2,4 bilhões no Brasil.

A nova plataforma incorpora tecnologias de manufatura de última geração. Ela não muda a capacidade de produção da marca, mas permite maior versatilidade, já que a montadora consegue agora fabricar uma gama maior de coletivos numa única linha.

Contato: eduardo.laguna@estadao.com