PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Começa a reunião de Análise de Mercado do Copom

Fabrício de Castro

Brasília

08/12/2020 11h16

Começou às 11h01 a reunião de Análise de Mercado do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Na tarde desta terça-feira, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, e os diretores da instituição ainda participam da reunião de Análise de Conjuntura, também no âmbito do Copom. Na quarta-feira, 9, eles têm mais uma rodada de discussões antes de indicarem o novo patamar da Selic (a taxa básica de juros), atualmente em 2,00% ao ano.

Em meio aos efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre a economia brasileira, a expectativa unânime do mercado financeiro é de que a Selic ficará estável. Se confirmada, esta será a terceira manutenção da taxa básica após nove reduções consecutivas.

De um total de 47 instituições consultadas pelo Projeções Broadcast, todas esperam manutenção da Selic em 2,00% ao ano. Para 2021, as casas esperam desde uma Selic estável em 2,0% até um aumento dos juros a 4,75% ao ano. A mediana é de 3,0%.

Desde a última reunião do comitê, em 28 de outubro, a permanência da incerteza fiscal, combinada às leituras de inflação mais pressionadas que o esperado, chegou a antecipar a aposta de algumas casas para o aumento da Selic. A mediana da pesquisa do Projeções Broadcast para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2020 subiu de 3,60% para 4,24%, acima do centro da meta, depois que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a decisão de retomar o sistema de bandeiras tarifárias este mês. Ontem, o Relatório de Mercado Focus indicou que a projeção para o IPCA em 2020 está em 4,25% - acima do centro da meta perseguida pelo BC, de 4,0%.

Na manhã de hoje, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA subiu 0,89% em novembro, após ter avançado 0,86% em outubro. Este é o resultado mais alto para novembro desde 2015, quando ficou em 1,01%. Com isso, o acumulado em 12 meses ficou em 4,31% e ultrapassou o centro da meta perseguida pelo BC. No mês, destacam-se a alta de 2,54% do grupo Alimentação e Bebidas e o aumento de 1,33% do setor de Transportes. Esses dois grupos responderam por 89% da inflação em novembro.

No mercado financeiro, a leitura é de que o BC deve confirmar no Copom a continuidade do forward guidance (prescrição futura), a regra segundo a qual se compromete a não elevar juros enquanto as expectativas e projeções de inflação de seu cenário básico se mantiverem abaixo do centro da meta no horizonte relevante, desde que o regime fiscal seja mantido e as expectativas de longo prazo permaneçam ancoradas.