PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Empregos e carreiras

Taxa de subutilização da força de trabalho cai a 29,5% no trimestre até outubro

Vinicius Neder

No Rio

29/12/2020 12h50

A taxa composta de subutilização da força de trabalho caiu de 30,1% no trimestre móvel encerrado em julho para 29,5% no trimestre móvel terminado em outubro, segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A taxa composta inclui a taxa de desocupação, a taxa de subocupação por insuficiência de horas e a taxa da força de trabalho potencial, pessoas que não estão em busca de emprego, mas que estariam disponíveis para trabalhar. No trimestre móvel até outubro de 2019, a taxa de subutilização da força de trabalho estava em 23,8%.

Isso significa que faltou trabalho para 32,548 milhões de pessoas, que estavam na população subutilizada (que inclui desocupados, subocupados por insuficiência de horas e a força de trabalho potencial). Esse contingente caiu 1% ante o trimestre móvel imediatamente anterior, com 344 mil pessoas a menos. Em relação a igual período de 2019, o avanço foi de 20%, ou 5,414 milhões de pessoas a mais.

Segundo o diretor-adjunto de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, a tendência é que as demais medidas de subutilização diminuam, à medida que a desocupação foro crescendo, com mais trabalhadores voltando a procurar emprego. "Reflexo disso é que também começa a aumentar a desocupação. Ela tende a aumentar porque vai reduzir a subutilização. São transferências dentro do mesmo grupo", afirmou Azeredo.

Apesar de alguns dados positivos, a coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Maria Lúcia Vieira, afirmou que "não dá para cravar nada" sobre os rumos do mercado de trabalho. "Não sabemos o que vai acontecer em termos de saúde pública, de pandemia, a partir de agora", disse a pesquisadora. "Se não piorar nada, poderíamos entender, sim, que estamos tendo uma recuperação, com as pessoas voltando a procurar trabalho", comentou.

Empregos e carreiras