PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

ANP: Produção diária em dezembro foi de 3,525 mi de barris de óleo equivalente

Wagner Gomes

São Paulo

02/02/2021 16h12

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou nesta terça, 2, que a produção nacional em dezembro chegou a 3,525 milhões de barris de óleo equivalente por dia, sendo 2,726 MMbbl/d de petróleo e 127 MMm3/d de gás natural. A produção de petróleo diminuiu 1% se comparada com a do mês anterior e 12,2% frente a dezembro de 2019. No gás natural, houve aumento de 0,5% em relação a novembro e de 7,8% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Em 2020, conforme dados já divulgados pelo Broadcast na semana passada, a produção registrou recordes tanto no petróleo quanto no gás natural. A produção petrolífera aumentou 5,5% em relação a 2019, alcançando uma média de 2,94 MMbbl/d (milhões de barris por dia), enquanto a de gás natural cresceu 4,1% em relação ao ano anterior, com média de 127 MMm3/d (milhões de m3 por dia).

Pré-sal

A produção no pré-sal em dezembro foi de 2,431 MMboe/d, sendo 1,921 MMbbl/d de petróleo e 81,1 MMm3/d de gás natural. No total, houve aumento de 0,3% em relação ao mês anterior e de 8,4% ante dezembro de 2019. A produção teve origem em 119 poços e correspondeu a 69% da produção nacional.

Em dezembro, o aproveitamento de gás natural foi de 97,6%. Foram disponibilizados ao mercado 57,7 MMm?/dia. A queima de gás no mês foi de 3 MMm?/d, uma redução de 2,8% se comparada ao mês anterior e de 17,1% em relação a igual mês em 2019.

Também em dezembro, os campos marítimos produziram 96,7% do petróleo e 81,5% do gás natural. Os campos operados pela Petrobras foram responsáveis por 93,7% do petróleo e do gás natural produzidos no Brasil. Porém, os campos com participação exclusiva da Petrobras produziram 38,3% do total.

Ainda em dezembro, o campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, registrando 929 MMbbl/d de petróleo e 42 MMm3/d de gás natural. A plataforma Petrobras 76, produzindo no campo de Búzios por meio de quatro poços, produziu 144,395 Mbbl/d de petróleo e foi a instalação com maior produção de petróleo.

Segundo a ANP, a instalação Polo Arara, no campo de Arara, por meio de 32 poços, produziu 6,815 MMm?/d e foi a instalação com maior produção de gás natural. Estreito, na Bacia Potiguar, teve o maior número de poços produtores terrestres: 1.045. Tupi, na Bacia de Santos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 57.

Esses campos produziram 410,5 boe/d, sendo 113,2 bbl/d de petróleo e 47,3 Mm?/d de gás natural. O campo de Iraí, operado pela Petroborn, foi o maior produtor, com 292,8 boe/d

No mês de dezembro de 2020, 260 áreas concedidas, três áreas de cessão onerosa e cinco de partilha, operadas por 36 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Dessas, 62 são marítimas e 206 terrestres, sendo 10 relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais. A produção ocorreu em 6.489 poços, sendo 499 marítimos e 5.990 terrestres.

Nesse mês, 34 campos permaneceram com suas respectivas produções temporariamente interrompidas devido aos efeitos da pandemia de Covid-19, sendo 17 marítimos e 17 terrestres, e um total de 60 instalações marítimas permaneceram com produção interrompida. Não houve alteração em relação ao mês anterior.

Ainda de acordo com a ANP, o grau API médio do petróleo extraído no Brasil foi de 28, sendo 2,8% da produção considerada óleo leve, 91,3% óleo médio e 5,9% óleo pesado.

As bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 93,8 Mboe/d, sendo 74,8 mil bbl/d de petróleo e 2,9 MMm?/d de gás natural. Desse total, 74,8 mil boe/d foram produzidos pela Petrobras e 19 mil boe/d foram produzidos por concessões não operadas pela Petrobras, dos quais: 12.023 boe/d no Rio Grande do Norte, 6.133 boe/d na Bahia, 365 boe/d no Espírito Santo, 270 boe/d em Alagoas e 191 boe/d em Sergipe.