PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Caixa tem R$ 12 bilhões para o agro no primeiro semestre

Presidente da Caixa anunciou em evento online com a ministra da Agricultura que o banco ofertou R$ 12 bilhões para o pré-custeio da safra 2021/22 - Foto: André Coelho/Valor
Presidente da Caixa anunciou em evento online com a ministra da Agricultura que o banco ofertou R$ 12 bilhões para o pré-custeio da safra 2021/22 Imagem: Foto: André Coelho/Valor

Clarice Couto

Em São Paulo

23/02/2021 08h30

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou ontem em evento online com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que o banco ofertou R$ 12 bilhões para o pré-custeio da safra 2021/22.

O montante já estava disponível ao setor em dezembro do ano passado e, segundo o executivo, R$ 8 bilhões já foram concedidos a agentes do setor, por meio de linhas do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) e outras para produtores de maior porte.

"Até o começo de abril, acredito que já teremos emprestado os R$ 12 bilhões. Se houver mais demanda, poderemos empresar R$ 13, R$ 14, R$ 15, R$ 16 bilhões", afirmou Guimarães no evento de anúncio do custeio antecipado para o agronegócio.

Dos R$ 12 bilhões, R$ 8 bilhões foram alocados para custeio e R$ 4 bilhões para investimentos. Para custeio, as taxas de juros do Pronaf são de 2,75% ao ano; do Pronamp, 4% ao ano, e demais produtores, 5% ao ano, conforme informado pelo executivo durante o anúncio.

Durante o evento, Guimarães destacou o crescimento da carteira do banco no último ano. Entre janeiro e dezembro, o montante aumentou 73% em relação a 2019, chegando a R$ 7,7 bilhões. Em fevereiro, a carteira atingiu R$ 8 bilhões.

O presidente da Caixa chamou a atenção, ainda, para o fato de que a instituição financeira está retomando a concessão de dinheiro com recursos obrigatórios (porcentual de depósitos à vista e de poupança que os bancos compulsoriamente destinam para financiar o setor rural) e que olhará com maior atenção também para os pequenos. "A Caixa até então não tinha foco no pequeno produtor, o que essa gestão considera inaceitável", afirmou Guimarães.

Além disso, Guimarães anunciou que a Caixa se prepara para abrir 21 agências dedicadas ao agronegócio, com estrutura e equipes exclusivas para o atendimento de produtores rurais. Ele detalhou que dez delas estarão localizadas no Centro-Oeste, cinco no Sudeste, três no Nordeste e três no Sul. "Estamos abrindo agências tanto em cidades com 22 mil habitantes, que é o caso de Canarana (MT), como em municípios maiores, de 242 mil habitantes, como Rio Verde, em Goiás", comentou Guimarães.

Com a expansão e o reforço na oferta de recursos ao setor, o objetivo é chegar ao fim de 2022 com um carteira próxima de R$ 40 bilhões, ante cerca de R$ 8 bilhões atualmente. "Isso representaria aumento de dez vezes em comparação a janeiro de 2019, quando essa gestão começou", afirmou o executivo.

Guimarães reforçou os planos de dar atenção especial aos pequenos produtores. "Não faremos uma expansão atabalhoada mas cresceremos continuamente. Teremos participação de 30% (no mercado de crédito rural)? Não. Mas seremos relevantes para os mais carentes e, aí sim, chegar a 25%, 30% (de participação de mercado)", afirmou.

No Centro-Oeste, além de Canarana e Rio Verde, receberão agências especializadas em agronegócio da Caixa as cidades de Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste e Dourados, em Mato Grosso do Sul; Campo Novo do Parecis, Primavera do Leste e Sorriso, em Mato Grosso, e Porangatu e Cristalina, em Goiás.

No Sudeste, contarão com agências agro os municípios de Patrocínio, Araxá, Uberaba e Uberlândia, em Minas Gerais, e Bauru, em São Paulo; no Sul, foram escolhidos Campo Mourão e Guarapuava, no Paraná, e Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. No Nordeste, contarão com as agências para o setor rural, inicialmente, as cidades de Bom Jesus, no Piauí, Barreiras, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participou do evento online e elogiou os planos de expansão do banco junto ao setor. "Ficamos muito felizes que a Caixa está dando foco para o agronegócio, precisamos de mais bancos atendendo o agro e estou certa de que em breve haverá uma segunda etapa (de abertura de agências agro)", afirmou a ministra.

Ela chamou a atenção também para o atendimento à agricultura familiar. "Tenho certeza de que a Caixa será grande aliada do 'pronafiano'", afirmou, referindo-se a agricultores de pequeno porte que tomam recursos do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

Guimarães comentou ainda que a Caixa continuará realizando o evento itinerante Carreta Agro Caixa, de visitas a cidades estratégicas para o setor, eventos e feiras, realizando reuniões técnicas, atendimento a clientes e assinatura de contratos. Para este ano, estão previstas visitas a mais de 20 cidades de 13 estados.

PUBLICIDADE