PUBLICIDADE
IPCA
+0,31 Abr.2021
Topo

Guedes reafirma que foi 'infeliz' em comentário sobre China e que tomou Coronavac

Após tomar as duas doses da vacina contra a covid-19, o ministro da Economia, Paulo Guedes (centro), apareceu sem máscara em discurso para comentar dados do Caged - Reprodução/YouTube
Após tomar as duas doses da vacina contra a covid-19, o ministro da Economia, Paulo Guedes (centro), apareceu sem máscara em discurso para comentar dados do Caged Imagem: Reprodução/YouTube

Fabrício de Castro

Brasília

28/04/2021 14h03

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tentou novamente minimizar na manhã desta quarta-feira, 28, os comentários feitos por ele sobre a responsabilidade da China na pandemia do novo coronavírus. Guedes reconheceu que foi "infeliz" na terça-feira, 27, durante reunião do Conselho de Saúde Suplementar, ao afirmar que a China teria "criado" a covid-19.

"Fui infeliz na imagem (sobre vacina da China). Fui infeliz. E quero deixar muito claro: nós somos muito gratos à China pelas vacinas. Eu tomei a Coronavac", disse o ministro na saída do ministério, em referência à vacina produzida pelo país asiático. "Eu tomei a Coronavac. A primeira dose 30 dias atrás e a segunda dose neste fim de semana. No domingo, eu tomei a segunda dose. Somos muito gratos aos chineses", reforçou.

Ao mesmo tempo, Guedes afirmou que o comentário da terça sobre a China teria sido feito em "outro contexto". "Essa politização da crise está distorcendo as coisas e tirando de contexto", disse. "Eu usei a expressão inventado, foi uma imagem infeliz, mas ele (o vírus) tinha sido originário de outra região do mundo e, quando chega numa economia de mercado forte, como a americana, eles (os EUA) conseguiram do desconhecido produzir uma vacina que parece ser ainda mais eficaz", comentou Guedes.

O ministro afirmou ainda que os comentários sobre a China foram feitos durante um momento da reunião em que se discutia como a iniciativa privada poderia auxiliar o Sistema Único de Saúde (SUS) no combate à pandemia. "Foi neste contexto. Eu disse, olha, quando você tem economia de mercado forte, você produz soluções, mesmo a vírus desconhecido. Foi isso."