PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

BCE: nova estratégia pode implicar em períodos de inflação acima da meta, diz ata

André Marinho

São Paulo

29/07/2021 09h56

O Banco Central Europeu (BCE) considera que a nova estratégia da política monetária, após a revisão, pode implicar em períodos de inflação moderadamente acima da meta de 2% por um "período transitório". É o que consta na ata referente à reunião que definiu a nova orientação, em 7 de julho.

Segundo o documento, a instituição avalia que o conceito de estabilidade de preços pressupõe inflação a 2% no médio prazo. "Uma meta de inflação de 2% é consistente com definições do padrão de estabilidade de preços e fornece uma margem de segurança para proteger a eficácia da política monetária na resposta a choques desinflacionários e para evitar o risco de deflação", pontua a entidade.

O relatório acrescenta que a nova formulação da meta "remove a ambiguidade" observada no objetivo anterior - "inflação abaixo, mas perto de 2%" - e indica que os 2% não representam um teto, além de ser mais fácil de comunicar e ancorar as expectativas.

"O compromisso do Conselho do BCE com a meta de 2% era simétrico. A simetria significa que o Conselho considera os desvios negativos e positivos da inflação em relação à meta como igualmente indesejados", ressalta.

O BCE destacou ainda que as taxas de juros seguem como os principais instrumentos para a política monetária, mas, em períodos de fraqueza econômica, "forward guidance", compras de ativos e operações de refinanciamento também são importantes.

A ata mostra que os dirigentes discutiram o papel do BCE na avaliação dos impactos das mudanças climáticas na economia.

PUBLICIDADE