PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Bolsonaro diz que discutiu maneiras para reduzir preço de combustíveis

Em evento da Caixa, Bolsonaro também defendeu a troca no comando da Petrobras, realizada no início do ano - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Em evento da Caixa, Bolsonaro também defendeu a troca no comando da Petrobras, realizada no início do ano Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Eduardo Gayer e Marcelo Mota

Em São Paulo

27/09/2021 12h30Atualizada em 27/09/2021 17h11

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que conversou hoje com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, sobre como "melhorar ou diminuir" o preço dos combustíveis, um dos principais vilões da atual escalada inflacionária.

A declaração foi feita em evento da Caixa Econômica Federal que lançou uma nova linha de crédito para "comemorar" os 1 mil dias de governo.

"Hoje, falei com o ministro Bento, conversando sobre a nossa Petrobras, o que nós podemos fazer para melhorar ou diminuir o preço na ponta da linha, onde está a responsabilidade", declarou Bolsonaro durante o evento.

Ele ainda voltou a defender a decisão, anunciada no início do ano, de indicar um novo nome para a Petrobras — no caso, Joaquim Silva e Luna para substituir Roberto Castello Branco.

"Me acusaram de interferir. É um direito meu", ressaltou o chefe do Executivo, ponderando que não tem poder de decidir as coisas dentro da empresa. "Aqui, o grande acionista é o governo federal, mas temos regras, a lei da paridade, disse.

Na tentativa de se defender sobre a alta dos preços dos combustíveis, Bolsonaro citou avanço das cotações também nos Estados Unidos e afirmou que é preciso "ter conhecimento do que está acontecendo antes de culpar quem quer que seja".

Ainda assim, reconheceu que qualquer fala equivocada ou, segundo ele, distorcida que prefere mexe com a Bolsa ou com o preço do dólar, com potencial de impactar ainda mais o preço dos combustíveis.

PUBLICIDADE