PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Crédito rural: BNDES suspende pedidos de financiamento na Pronaf Investimento

São Paulo

10/11/2021 09h09

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) suspendeu mais uma linha de crédito subsidiado, no âmbito do Plano Safra 2021/22, por causa "do nível de comprometimento de recursos", segundo circular no site do banco de fomento. Desta vez, foi uma linha do Pronaf Investimento, destinada à aquisição isolada de matrizes, reprodutores, animais de serviço, sêmen, óvulos e embriões.

Desde que o ano-safra 2021/22 se iniciou, em 1º de julho, o BNDES vem anunciando a suspensão temporária de novos pedidos de financiamento de várias linhas de crédito rural por causa do esgotamento dos recursos disponíveis. A mais recente havia sido em 28 de setembro, com o bloqueio de novos pedidos para o Moderfrota, o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras.

Com recursos de R$ 7,53 bilhões (em taxas equalizadas) na safra 2021/22 para financiamento de máquinas agrícolas, ou 15,8% maiores ante o ano-safra anterior, o Moderfrota tem juros de 8,5% ao ano, alta de 0,5 ponto porcentual em relação à safra anterior.

Anteriormente, outros programas também tiveram novos pedidos de crédito bloqueados. No dia 13 de setembro, foi a vez do Programa de Financiamento à Agricultura Irrigada e ao Cultivo Protegido (Proirriga). No dia 6 de setembro, foram três linhas: Pronaf Custeio - exclusivamente para operações com taxa de juros prefixada de até 4,5% ao ano -; Programa ABC (agricultura de baixo carbono), exclusivamente para operações com taxa de juros prefixada de até 7% ao ano, e, finalmente, do Pronamp Investimento (linha voltada ao médio produtor rural).

Em 19 de agosto, o BNDES havia cancelado pedidos adicionais de crédito para o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro); o Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA); o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) - para operações de custeio - e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf Investimento).

Em 27 de julho, o banco de fomento soltou circular proibindo novos pedidos de financiamento na linha PCA, no caso, "para operações com taxa de juros prefixada de até 7% ao ano". E, em 10 de agosto, o bloqueio ocorreu na linha Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária (Prodecoop).

Até o momento, não houve nenhuma circular por parte do banco autorizando a retomada de nenhuma das linhas suspensas acima citadas. Em entrevista coletiva nesta terça-feira, 9, na COP-26, o secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Fernando Camargo, lembrou que, além do BNDES, o Plano Safra 2021/22 é executado "por inúmeras instituições, tanto públicas quanto privadas".

"Pode ter tido algum problema específico no BNDES (em relação à suspensão de linhas do Plano ABC), mas já foi resolvido", mencionou. "O fluxo está constante; estamos com muita demanda e daqui a pouco vai ter mais recurso", garantiu Camargo sobre a linha ABC, sem, porém, dar mais detalhes.

PUBLICIDADE