PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Lira diz que subsídio de combustíveis é questão emergencial e volta a cobrar Petrobras

Presidente da Câmara, Arthur Lira, em entrevista a jornalistas - Marina Ramos/Câmara dos Deputados
Presidente da Câmara, Arthur Lira, em entrevista a jornalistas Imagem: Marina Ramos/Câmara dos Deputados

Iander Porcella e Izael Pereira

Brasília

17/03/2022 15h30Atualizada em 17/03/2022 18h32

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou hoje que a criação de um subsídio temporário para os combustíveis é uma "questão emergencial". Após uma reunião com líderes partidários, o deputado também voltou a cobrar que a Petrobras recue do aumento no preço dos combustíveis.

Ontem, Lira defendeu um subsídio direcionado a categorias como motoristas de aplicativo, taxistas e caminhoneiros. "Todo o Brasil está preocupado com isso e a gente vai encontrar uma solução", afirmou.

De acordo com ele, o Executivo precisa estar "bem alinhado" com o Congresso, já que a renúncia fiscal é do governo.

Hoje, o presidente da Câmara também voltou a dizer que não há urgência para a análise do projeto aprovado no Senado que cria uma conta de estabilização para os preços dos combustíveis.

"Não é um projeto que vai resolver imediatamente essa questão. Nós temos outras questões que podem ser tratadas com relação ao combustível, como poderia ser esse subsídio eminentemente temporário para diminuir o impacto que houve", afirmou.

Lira disse, ainda, que o fato de a Petrobras não recuar do aumento no preço dos combustíveis mostra uma "incapacidade" da estatal em dar uma resposta rápida ao "povo brasileiro". Ontem, o deputado já havia criticado a empresa.

"O barril baixou. O barril sobe, a gente aumenta. O barril baixa, a gente não baixa? Então, é importante que a Petrobras recue o preço e do aumento que deu, porque o dólar está caindo e o barril está caindo, são os dois componentes que fazem a política de preços da Petrobras", declarou Lira ontem.