PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Dirigente do Fed alerta sobre alta muito agressiva dos juros nos EUA

São Paulo

24/03/2022 10h38

Presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Minneapolis, Neel Kashkari afirmou que há riscos ligados a um aumento muito agressivo do juro nos EUA, caso o BC opte por altas acima de 25 pontos-base nas reuniões de 2022 do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês).

De acordo com ele, a trajetória do juro básico este ano dependerá das informações que surgirem sobre a economia dos EUA. "E se as cadeias de suprimentos começarem a normalizar? Talvez não precisemos de mais seis altas de juro em 2022 se os desequilíbrios começarem a melhorar", estimou o dirigente, que tem direito a voto nas reuniões deste ano do FOMC.

Para Kashkari, a maior notícia da última reunião do grupo não foi a primeira alta de juro desde 2018, mas a nova trajetória planejada para o juro. "Mudei minha visão drasticamente sobre a política monetária nos últimos seis meses", disse, após ressaltar que a alta e persistente inflação local o surpreendeu.

De qualquer forma, os primeiros sinais são de que o mercado de trabalho e a cadeia de suprimentos continuarão apertados ao menos até o fim do ano.

De acordo com Kashkari, a forte geração de empregos recente nos EUA não foi suficiente para manter a inflação controlada, e empresários têm previsto melhora nas cadeias apenas a partir de 2023.

Ele ainda alertou que é incerto se a demanda por bens de consumo, em parte responsável pelos altos preços nos EUA, vai diminuir nos próximos meses, à medida que o setor de serviços se recupera completamente do crise da covid-19.