PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

México: governo detalha medidas como subsídios para conter inflação

São Paulo

02/08/2022 18h37

O governo do México detalhou nesta terça-feira, 2, durante entrevista coletiva do presidente Andrés Manuel López Obrador, o esforço em andamento para conter a inflação no país. Segundo o secretário de Fazenda e Crédito Público, Rogelio Ramírez de la O, o pacote que já tem dois meses e meio tem conseguido estabilizar os preços de 24 produtos da cesta básica.

A autoridade disse que o pacote tem um custo de 574 bilhões de pesos mexicanos, no total, e tem sido colocado em andamento com a assinatura de acordos com empresas. Segundo o secretário, há gastos em frentes como a segurança alimentar, subsídios a fertilizantes, para a aquisição de leite, entre outros pontos. Foram utilizados 430 bilhões de pesos apenas para conter o preço da gasolina.

Rodríguez de la O disse que, segundo estimativa oficial, sem o pacote a inflação ao consumidor no México teria sido 2,6 pontos porcentuais maior do que é hoje. "Por isso que, entre outras razões, a inflação do México está mais baixa que a de outros países, incluindo os Estados Unidos", argumentou.

A autoridade disse que, sem esse pacote, o consumo teria caído no país, com menos arrecadação de impostos. Além disso, o Banco Central do México teria de elevar mais os juros por causa da inflação, com efeitos negativos para a economia. O secretário ainda disse que há compromissos do governo em não aumentar os custos do setor energético, bem como de acelerar a abertura de importações para produtos básicos, limitar a exportação de milho branco, para ter uma reserva estratégica do produto, e fechar acordos com os EUA para receber mais leite e fertilizantes.

Na coletiva, o presidente Andrés Manuel López Obrador disse que o governo trabalha para "frear a inflação", a fim de que "não seja afetada a economia popular".