IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Citi reforça que potencial mudança na Petrobras gera riscos

São Paulo

31/12/2022 09h23

Os analistas do Citi reforçaram em novo relatório que as potenciais mudanças na Petrobras geram riscos para a tese de investimentos na companhia. No texto, os analistas comentam a indicação de Jean Paul Prates (PT-RN) para o cargo de presidente da estatal, destacando a experiência de 37 anos do senador na área de óleo e gás e das críticas públicas à atual política de paridade de preços (PPI).

A mudança na cúpula da empresa e nas diretrizes de gestão dos negócios gera o risco, segundo os analistas, de a estatal passar a registrar "múltiplos menores em comparação com seus pares" e reduzir o dividend yield (rendimento de dividendos) a 8%.

"Uma das áreas de discussão mais importantes, a nosso ver, é a futura política de dividendos da empresa, que pode convergir para o payout mínimo de 25%. Nesse cenário, vemos a ação sendo negociada com um rendimento de dividendos de cerca de 8%, o que implica riscos potenciais de queda no preço da ação", escreveram os analistas.

No relatório, eles afirmam que "quaisquer possíveis mudanças no plano de investimento e na política de preços de combustível podem representar mais riscos para a tese de investimento da Petrobras". "Conforme discutimos no relatório 'Latin America Energy - LatAm Oil Titans: EC vs. PBR', vemos riscos em torno da tese de investimento da PBR Petrobras devido às possíveis mudanças na estratégia de longo prazo da empresa e à incerteza sobre sua futura alocação de capital, que acreditamos se traduz em múltiplos menores em comparação com seus pares", escreveram os analistas.