IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Produção de aço bruto cai 5,9% em abril ante igual período em 2022

São Paulo

18/05/2023 17h54

O Instituto Aço Brasil informou que a produção nacional de aço bruto em abril deste ano somou 2,8 milhões de toneladas, uma queda de 5,9% ante o mesmo intervalo do ano anterior. Em igual período, as vendas internas atingiram 1,5 milhão de toneladas em abril de 2023, valor 11,6% menor na comparação anual.

A produção de semiacabados em abril foi de 771 mil toneladas, uma redução de 4,7% ante abril do ano anterior. No mesmo intervalo, a produção de laminados ficou em 1,9 milhão de toneladas, valor 5,7% inferior.

As exportações em abril somaram 880 mil de toneladas, o que representa uma queda de 20,2% na comparação com o mesmo mês em 2022. Considerando igual intervalo, os ganhos com as vendas para o mercado externo totalizaram US$ 795 milhões, queda de 11,2% para o setor.

Já as importações em abril foram de 403 mil toneladas, o que representa um forte aumento de 80,8% na comparação com o ano anterior. Os valores utilizados para a importação foram de US$ 474 milhões, aumento de 35,2% no mesmo período.

Acumulado

No intervalo acumulado de janeiro a abril de 2023, a produção brasileira de aço bruto foi de 10,6 milhões de toneladas, queda de 8,8% ante o mesmo intervalo do ano anterior. Já a produção de laminados foi de 7,3 milhões de toneladas, redução de 8,6% em igual período de comparação. O total de semiacabados produzidos nos primeiros quatro meses do ano foi de 3,0 milhões de toneladas, aumento de 2,7% na comparação anual.

As vendas internas foram de 6,4 milhões de toneladas de janeiro a abril de 2023, o que representa uma redução de 4,0% quando comparadas com igual período do ano anterior.

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 7,7 milhões de toneladas no acumulado até abril de 2023, uma retração de 0,9% frente ao registrado no mesmo período de 2022.

As importações alcançaram 1,4 milhão de toneladas no acumulado até abril de 2023, um aumento de 34,4% ante o mesmo período do ano anterior. Os valores utilizados para a importação foram de US$ 1,8 bilhão, avanço de 16,1% em igual intervalo.

Já as exportações no acumulado atingiram 4,0 milhões de toneladas, redução de 10,5% na comparação com o ano passado. Os ganhos com as vendas para o mercado externo totalizaram US$ 3,4 bilhões, alta de 6,5% no mesmo período de comparação.