IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Tesouro dos EUA prepara planos de contingência para cenário sem acordo por teto da dívida

Washington

25/05/2023 13h36

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos está se preparando para mudar a forma como os EUA processam os pagamentos das agências federais se o teto da dívida for violado, tirando a poeira de um plano de contingência elaborado após o impasse do limite de empréstimos de 2011, disseram fontes familiarizadas com o assunto. A apenas alguns dias de se tornar incapaz de pagar todas as contas do governo em dia, a menos que o Congresso aumente o limite da dívida, as autoridades do Tesouro estão silenciosamente preparando o terreno para potencialmente atrasar alguns pagamentos após 1º de junho.

De acordo com o plano de backup criado para uma violação do limite da dívida, as agências federais enviariam pagamentos ao Tesouro no máximo um dia antes do vencimento, disseram as fontes. Isso representaria uma mudança em relação ao sistema atual, no qual as agências podem enviar os arquivos de pagamento bem antes das datas de vencimento. O Tesouro os processa continuamente, muitas vezes antes dos prazos. Alguns pagamentos já são enviados ao Tesouro com um dia de antecedência.

Se o Tesouro não puder fazer os pagamentos de um dia inteiro, provavelmente atrasaria os pagamentos até ter dinheiro suficiente para pagar as contas do dia inteiro, disseram as fontes. O plano foi discutido em todo o governo, mas o Tesouro não instruiu as agências a mudar a forma como pagam as contas. O plano de contingência discutido com as agências federais não especifica se os EUA tentariam garantir o pagamento de certas contas em dia. Mas como a confiabilidade dos títulos do Tesouro é fundamental para o sistema financeiro global, os funcionários do Tesouro e do Federal Reserve no passado discutiram a prioridade dos pagamentos da dívida.

Em atas públicas das reuniões de 2011 e 2013, os funcionários do Fed discutiram seu plano com o Tesouro para garantir que o governo pagasse aos investidores o principal e os juros da dívida. Todas as outras contas estariam sujeitas a uma avaliação diária para saber se o governo tinha dinheiro suficiente para pagá-las, de acordo com os documentos.

Em conversas recentes com outras agências sobre como os pagamentos podem ser adiados, as autoridades do Tesouro não indicaram se os EUA dariam prioridade aos pagamentos da dívida, de acordo com as fontes.

Além do planejamento de contingência, funcionários do Tesouro têm trabalhado com agências para examinar suas necessidades de pagamento. No início deste mês, David Lebryk, secretário assistente fiscal do Tesouro, enviou um memorando às agências pedindo que notificassem o Tesouro sobre quaisquer grandes pagamentos que venceriam em breve, de acordo com uma cópia vista pelo The Wall Street Journal. Fonte: Dow Jones Newswires.