Habitação terá maior orçamento dos últimos 7 anos após decisão do Conselho Curador do FGTS

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (CCFGTS) decidiu na tarde desta terça-feira (25) aumentar em R$ 28,86 bilhões o orçamento do Ministério das Cidades, que irá direcionar o recurso para 'habitação'. Com isso, a área irá contar com R$ 96,96 bilhões para 2023, o maior orçamento dos últimos 7 anos.

O acréscimo será utilizado para turbinar o Minha Casa, Minha Vida (MCMV), conforme anunciado pelo ministro das Cidades, Jader Filho, nas redes sociais. O gestor comemorou a decisão e disse que o volume de obras irá refletir em uma cadeia positiva que inclui a geração de 2,3 milhões de empregos diretos ou indiretos.

"Isso permitirá que 488 mil famílias realizem o sonho da casa própria por meio do financiamento oferecido pelo programa habitacional este ano, cem mil famílias a mais do que no ano passado", afirmou o ministro das Cidades, Jader Filho, no Twitter.

Na mesma reunião, o Conselho Curador aprovou a suspensão temporária da cobrança de financiamentos imobiliários contratados com recursos do fundo, no âmbito de programas de habitação popular como o Minha Casa, Minha Vida.

Válida por seis meses, a medida pode beneficiar até 700 mil famílias que, por dificuldades financeiras momentâneas, não têm conseguido saldar as parcelas mensais do financiamento.