Inflação de serviços indica convivência com preços altos por um tempo, diz economista do BoE

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) tem se concentrado principalmente na inflação de serviços para traçar suas projeções de inflação para o futuro, afirmou o economista-chefe do BoE, Huw Pill. Segundo ele, os serviços são um indicativo de persistência da inflação, que deve perdurar por muito tempo, e a autoridade monetária segue focada em "voltar o crescimento de preços para a meta de 2%, independente do que for necessário".

Em apresentação do relatório de política monetária na Agência Nacional britânica, Pill pontuou que o BoE tem buscado "nem fazer pouco, nem fazer demais" ao elevar as taxas de juros para territórios mais restritivos.

Ele avalia que a inflação já vem caindo no país, e acrescenta que, com taxas em níveis restritivos como hoje, o nível de preços tende a cair ainda mais e a alta de salários deve regredir lentamente ao longo do resto do ano.

Segundo o economista-chefe, é difícil prever como a inflação vai continuar a se comportar, mas os preços de energia e alimentos serão definidores da política monetária, caso voltem a subir, o BoE pode reagir com uma política monetária ainda mais restritiva.

Ao longo do evento, foram apresentadas as novas projeções do BoE, que espera ver a taxa de inflação voltando à meta de 2% ao ano no segundo trimestre de 2025.

Deixe seu comentário

Só para assinantes